Carregando

Buscar

Futebol

Carlos Alberto revela brigas com Tévez nos bastidores do Corinthians e critica Gabigol

Compartilhe

Em 2005, o Corinthians tinha um grande time. Patrocinado pela MSI, o clube paulista conseguiu reunir diversos craques no elenco, dentre eles Carlos Alberto e Carlos Tévez. 

Em entrevista ao “Arena SBT”, Carlos Alberto revelou que não se dava bem com Tévez, e que inclusive o jogador argentino já chegou a cuspir em seu rosto durante um treinamento:

“Ele me cuspiu num treino. Mania de argentino feia, né? Aí a gente foi às vias de fato. Ninguém estava no treino esse dia porque iam cobrir a chegada do [Daniel] Passarella.”

O ex-meia revelou que as encrencas não pararam por aí. Um tempo depois, o jogador quase se envolveu em nova confusão no vestiário:

“Pô, pra tu ver, o Fábio Costa estava tentando separar as coisas, acalmar as coisas. E aí o Fábio Costa meio que ficou do lado dele [Tévez], eu falei: ‘vem cá, tu é argentino agora?’. Mas aí não aconteceu mais nada.”

Apesar das discussões, os jogadores nunca deixaram afetar a atuação dentro de campo:

“A gente passou aquele ano e o ano de 2006 [brigados]. Eu não falava muito com ele e nem com o Mascherano, não fazia diferença nenhuma pra mim. Eu tinha que tocar a bola pra ele, nisso acho que a gente se respeitou e dava muito certo”, explicou.

 

Foto destaque: Reprodução/Fox Sports

João Felix

Além das polêmicas com Tévez, Carlos Alberto também aproveitou a entrevista para criticar Gabigol:

“Eu particularmente não gosto muito do comportamento dele, não sou ninguém pra julgar, mas assim… ele sai e chuta a garrafa, expõe o treinador e o companheiro que está entrando em campo. E acho que ele jogando no Flamengo, tem seis chances por jogo, então pode perder quatro. Se jogasse no São Paulo, por exemplo, só tem uma chance, quando tem. Aí não dá.”

E seguiu: “Outro dia ele falou que o futebol brasileiro é uma várzea, é nessa várzea que sobrevive. Na Europa ele não jogou”, finalizou.

Em destaque