Carregando

Buscar

Futebol

Com finais brasileiras na Sula e na Libertadores, Brasileirão poderá ter G-9 pela primeira vez na história

Compartilhe

Na noite da última quinta-feira (30), ao vencer o Peñarol-URU por 2 a 0, o Athletico-PR confirmou sua presença na final da Copa Sul-Americana e a consequente abertura de um G-9 no Brasileirão. E não apenas isso: entre todos os 20 clubes na Série A, apenas um time não começará 2022 em uma competição internacional ou na Série B.

Isso acontecerá porque, pela primeira vez desde 2017 (quando foram ampliadas o número de vagas brasileiras na Libertadores), times do Brasil farão final tanto na Sula, quanto na Libertadores. O título da Libertadores será decidido entre Palmeiras e Flamengo, enquanto o da Copa Sul-Americana ficará com Athletico ou Red Bull Bragantino.

Desde o aumento no número de vagas para brasileiros em competições continentais, será a primeira vez com 9 brasileiros na Libertadores: em 2018 o Brasileirão formou um G-7, enquanto em 2017, 2019 e 2020, o campeonato nacional classificou oito representantes para a Libertadores do ano seguinte. Se os campeões de Copa do Brasil, Libertadores e Sul-Americana permanecerem entre os primeiros colocados, se formará um G-9.

Com isso, em 2021 nove brasileiros estarão na Libertadores e seis estarão na Sul-Americana, totalizando 15 clubes com participação internacional. Apenas o 16º colocado no Brasileirão ficará num “limbo”: enquanto os 4 últimos descerão e disputarão a Série B de 2022 , os 15 primeiros irão disputar torneios continentais.

Foto de capa: Getty Images

João Felix

Em destaque