Carregando

Buscar

Futebol

Pai de António de Oliveira sai em defesa do filho e diz que técnico já deveria ter deixado o Athletico há tempos

Compartilhe

Nesta quinta-feira (9), o treinador António de Oliveira entregou o comando do Athletico-PR. Após 12 partidas sem vitória e com a derrota para o Cascavel pela semifinal do campeonato paranaense, o técnico português preferiu deixar a equipe.

Após sua decisão, diversos torcedores do Furacão foram até as redes sociais criticarem a saída do treinador, que foi prontamente defendido por seu pai, o ex-jogador português Toni.

Ao comentário de um torcedor, o pai de António escreveu: ‘Quando venderam o Vitinho, era nesse dia que o treinador devia ter saído, porque tiraram quem marcava gols e dava profundidade ao jogo do Atlético. Foi uma grande experiência em um clube com grande história, mas com um cancro dentro do elenco que destrói o trabalho de um leader’

Foto destaque: Getty Images

João Felix

Vitinho foi vendido pelo Athletico ao Dínamo de Kiev, entretanto segue sendo o artilheiro do Furacão na temporada, com nove gols. 

Outros torcedores mais críticos pediam para que o treinador levasse junto com ele alguns outros jogadores e dirigentes do Athletico. O pai de António, em tom ríspido, respondeu:

‘Cala essa boca e pede mais jogadores de qualidade. Sendo difícil tirar leite de pedras, ainda conseguiu algo, desde tirar o Atlético do buraco do último lugar e ficar em nono lugar com acesso direto à Sul-Americana e, nesta temporada, está na semifinal na Sul-Americana, perto da semifinal da Copa do Brasil e no mesmo nono lugar (no Brasileirão).’

António de Oliveira deixou o Athletico com 40 jogos, 21 vitórias, sete empates e 12 derrotas. Além disso, classificou o clube para a semifinal da Copa Sul-Americana e para as quartas da Copa do Brasil.

Em destaque