Carregando

Buscar

Futebol

Rafinha critica violência no protesto do Grêmio: ‘Foge da legitimidade, perde a razão’

Compartilhe

No início da tarde desta quarta-feira (1), torcedores do Grêmio organizaram um protesto em frente ao centro de treinamento da equipe. Com muitas críticas pelo momento que o clube está vivendo, os torcedores partiram para a violência com pedras e rojões e precisaram ser contidas pela polícia. 

Após a reapresentação do elenco e com os ânimos acalmados, o lateral Rafinha concedeu entrevista coletiva e desabafou sobre a situação: “Torcedor tem todo direito de cobrar, xingar, vaiar. Não tem problema nenhum. Mas a partir do momento que passam para outro lado, com pedra, tacar fogos de artifício, foge da legitimidade, perde total razão.”

Foto destaque: Reprodução/Twitter

João Felix

O lateral seguiu: ‘A gente entende o desconforto da torcida, a frustração, mas aqui ninguém está brincando, fazendo coisa errada. Todo mundo está lutando para tirar o Grêmio desta situação. O torcedor tem total direito de cobrar, mas de uma forma totalmente diferente, não desta forma. Torcemos para que não aconteça mais. Prejudica a gente, que conta com os torcedores para sair disso. Ficamos tristes, não é o que a gente quer.’

O protesto foi convocado pelas organizadas do time pelas redes sociais. Iniciou de maneira pacífica, entretanto quando ônibus com os jogadores chegou ao local, houve tumulto, tentativa de invasão ao CT, além de pedras e rojões que foram disparados em direção ao veículo. Além disso, quatro carros de funcionários do clube foram atingidos. 

Rafinha completou: ‘É triste para todos nós, ninguém quer passar por isso. Às vezes, a forma de protestar tem um limite. Quando passa para o lado da agressão, que pode machucar alguém, causar danos, foge dos padrões. Não justifica. Não é porque não está ganhando que tem o direito de tacar pedra ou fogos dentro do ônibus. Não concordo e não aceito. Ninguém aceita’.

 
 

Em destaque