Carregando

Buscar

Futebol

Goleiro do Ipatinga, Elissom relata ofensas em jogo do Mineiro: “Escutei que sou culpado pela morte do meu filho”

Compartilhe

O goleiro Elissom, do Ipatinga, fez um desabafo nas redes sociais após a derrota por 3 a 0 para o Vila Nova, na noite desta quarta-feira, pelo Módulo II do Campeonato Mineiro. O jogador disse que foi ofendido e que os gritos foram sobre a morte do filho, que aconteceu em 2018, após um acidente doméstico.

Em seu Instagram, Elissom divulgou uma nota de repúdio à situação. De acordo com a publicação, torcedores o ameaçaram e também disseram que ele era culpado pela morte do filho, que “mereceu” o que ocorreu.

“Todavia, infelizmente, ao escutar ontem de diversos torcedores do Villa Nova Atlético Clube de Nova Lima, equipe esta que sempre torci e lutei pela camisa, quando lá estava, pela qual o meu filho, que no céu descansa ao lado de Deus e da minha mãe, sua avó, gritava “vai Villa”… “Que eu sou culpado pela morte do meu filho”; “QUE MEU FILHO MERECEU MORRER porque eu sou mercenário e processei o Cruzeiro para obter meus salários atrasados”; “QUE IRIAM ME MATAR PARA EU ENCONTRAR O MEU FILHO”; tornou-se um dos fatos mais tristes da minha vida”.

Foto de capa: Reprodução/Arquivo Pessoal
João Felix

Revelado pelo Cruzeiro, o goleiro perdeu o filho Lucca Guilherme, de seis anos, em 2018 após um acidente enquanto brincava na casa de um colega. O garoto teve traumatismo craniano grave e não resistiu. Elissom disse que tem sido difícil se recuperar após a morte do filho.

“Há anos venho tentando me reconstruir, com a força de Deus, tratando não só a mente, mas o coração. Há anos peço a Deus força e discernimento, na luta pela sobrevivência, após perder o grande amor da minha vida, meu filho Lucca. A vida tem sido dura”.

Em entrevista ao “Globo Esporte”, o jogador do Ipatinga disse que as ofensas começaram no aquecimento e pioraram depois que ele fez uma boa defesa. Elissom disse ter sofrido ameaças de parte da torcida do Villa Nova, clube que ele defendeu em 2011 e 2012. Ele ainda disse que, devido a esta situação, está repensando a continuidade de sua carreira.

“Desde o início do aquecimento eles estavam me xingando, de mercenário, de traíra. Em determinado momento eu fiz uma defesa e simplesmente um um torcedor deles falou: “A culpa do seu filho ter morrido foi sua, Elisson, ele mereceu morrer”. Eu falei: “Que isso rapaz, você é doido”. Mostrei a camisa que eu uso, com a foto dele (filho), como camisa térmica, e falei que um dia eu vou encontrar com ele. Ele (o torcedor) começou a falar que ia me fazer encontrar mais rápido com ele. “Vem cá pra mim (sic) te matar e você encontrar com ele”.

“Xingar a memória do meu filho e me difamar foi muito triste. Eu estou indignado. Estou tentando me reerguer e estou revendo também se continuo. Se vale a pena continuar escutar esses xingamentos sem preço nenhum, sem motivo nenhum”.

Em destaque