Carregando

Buscar

Futebol

Boletim olímpico: Isaquias e Hebert faturam o ouro, mas equipe do vôlei masculino perde o bronze

Compartilhe

A noite brasileira nos Jogos Olímpicos de Tóquio deu mais motivos para ser comemorada do que lamentada. Isso porque foram conquistadas duas medalhas de ouro para a delegação do Brasil, nos levando ao total de cinco conquistas douradas na capital japonesa – lembrando que mais três ainda podem ser vencidas.

Após chegar à final com tranquilidade, Isaquias Queiroz confirmou seu favoritismo e foi o primeiro a cruzar a linha de chegada na prova C1 1000m da canoagem velocidade, levando o ouro para casa. A outra medalha dourada também veio de um baiano: Hebert Conceição nocauteou o ucraniano Oleksandr Khyzniak no terceiro round da final da categoria até 75 kg, após ter perdido os dois primeiros por unanimidade, e se sagrou o segundo campeão olímpico brasileiro da noite.

João Felix

No entanto, nem tudo foram glórias para o Brasil, já que a equipe do técnico Renan Dal Zotto perdeu a disputa pela medalha de bronze para a Argentina por 3 sets a 2 (parciais de 25/23, 20/25, 20/25, 25/17 e 15/13) e está fora do pódio do vôlei masculino pela primeira vez desde os Jogos de Sidney, em 2000. O jovem Kawan Pereira, de apenas 19 anos, fez história e levou a delegação brasileira à primeira final dos saltos ornamentais, ficando na 10ª colocação da prova dos 10m. Já a equipe de ginástica rítmica do Brasil, representada pelo quinteto formado por Maria Eduarda Arakaki, Deborah Medrado, Nicole Pircio, Geovanna Santos e Beatriz Silva, ficou na 12ª posição na fase preliminar, não se classificou à final da modalidade e está fora das Olimpíadas.

Em destaque