Carregando

Buscar

Futebol

Deixado de lado na Seleção, Marinho não descarta naturalização para jogar por outro país: “Sem dúvidas aceitaria”

Compartilhe

Destaque do futebol brasileiro nos últimos anos, Marinho não conseguiu atingir o nível esperado por Tite, técnico da seleção brasileira. Mesmo capaz de ser o protagonista do Santos em uma ida à final da Libertadores, o jogador nunca foi convocado. Neste sentido, em conversa no “Flow Podcast”, Marinho não descartou uma naturalização para defender as cores de outro país.

“Sem dúvidas (aceitaria). Eu falo que sempre é uma vontade defender uma seleção do meu país. Não sei se é meu jeito de brincar e se sou levado a sério. Talvez se mudasse um pouco minha maneira de agir para os caras ver que eu sou profissional também. Eu acredito que têm várias coisas que contam. Meu maior sonho é vestir a camisa da seleção brasileira. Depois do que aconteceu no Santos, sendo o melhor jogador da Libertadores, da América, vice-artilheiro do Brasileirão… Você vê as convocações e não ir, desanima. Mas o Brasil tem muito jogadores bons, e eu continuo acreditando”, iniciou.

“Se chegarem e falar: ‘Quero te dar naturalização para defender nosso país’. É um sonho vestir uma camisa de seleção, e vem uma de fora… Como o Rafael Tolói que foi campeão da Euro com a Itália. É questão de oportunidade e carreira. Se tiver a oportunidade e falarem ‘vem’, minha prioridade seria o meu país, mas seria o maior barato. Não significa que você não gosta do seu país. Creio que o treinador olha e, para ele, os melhores são os que ele leva”, completou.

João Felix

Imagem de capa: Ivan Storti/Santos FC

Em destaque