Carregando

Buscar

Futebol

Renato Gaúcho é apresentado como novo técnico do Flamengo: “Treinar o Flamengo é o mesmo que treinar a seleção brasileira”

Compartilhe

Nesta segunda-feira (12), o Flamengo apresentou oficialmente o técnico Renato Gaúcho. O treinador chega para o lugar de Rogério Ceni, demitido na madruga do último sábado (10), com contrato de um ano. Durante a coletiva de imprensa, os comandantes do Rubro-Negro deram às boas vidas a Renato que, na sequência, ressaltou seu sonho de treinar a equipe.

“Hoje a frente do trabalho, é algo que ainda não tenho como treinador, que é um título brasileiro. Lembro de dar a volta olímpica em 87, todos liderados pelo Zico. Espero que a gente possa realizar mais um sonho”, iniciou Renato Gaúcho.

“Dois anos atrás, eu falei que tinha um sonho de treinar o Flamengo, e hoje estou realizando esse sonho. Todo treinador tem que pensar grande, e para mim, treinar o Flamengo é a mesma coisa de treinar a seleção brasileira, pela grandeza desse clube. Eu falei que era o meu sonho treinar o Flamengo. Todo treinador sonha isso. Eu estou realizando. Eu estou muito emocionado. Poder voltar ao Flamengo, poder voltar a pisar no Maracanã e estar ao lado desse grupo vencedor”

continuou Renato.
João Felix

Base

Questionado ainda sobre a utilização da base, Renato afirmou que chegou querendo observar os garotos do Ninho do Urubu e sugeriu um coletivo contra os que jogadores não atuaram na vitória por 2 a 1 diante da Chapecoense no último domingo (11). “Por onde eu passo gosto de trabalhar com os garotos. Ontem mesmo no Maracanã após a partida falei com as pessoas e pedi para marcar um coletivo para quem não atuou justamente contra os garotos para começar a observar”, confessou.

“Eu conto com todo mundo, quem vai dar resposta para o treinar é o próprio jogador. Gosto de trabalhar com jogadores da base, gosto de dar oportunidades, de observar. Gosto de fazer muitos treinamentos do profissional contra a base. Tenho boas informações do Lázaro, mas tem que saber lançar o jogador”, afirmou o treinador sobre usar a base.

Relacionamento com a torcida

O ex-técnico do Grêmio respondeu uma questão sobre a sua relação interna com o Flamengo e com os flamenguistas, apontada como grande empecilho em sua contratação anteriormente. Segundo ele, não houve atrito algum com o clube ou com a torcida do Flamengo. Ele cometou ainda que, “no jogo beneficente do Zico, que a torcida me vaiava, o Zico brincava comigo ‘Tá vendo? Você é ídolo deles, eles gostam de voce, mas aquele gol de barriga…'”.

Pressão

Entre as várias questões abordadas por jornalistas e setoristas do Flamengo na imprensa, Renato se disvinculou da “pressão” deixada pela passagem de Jorge Jesus e afirmou que não se deve comparar treinadores. Além disso, elogiou o elenco da equipe, falou sobre investimento e disse ter ótimas peças em mãos e que o trabalho será feito para buscar êxito nas disputas de título indo “sempre em busca da vitória”, pois “quem busca a vitória está mais próximo da vitória do que da derrota”.

Volta do público aos estádios

Renato se mostrou a favor da volta do público aos estádios seguindo todos os protocolos. “Com segurança, seguindo os protocolos, eu sou a favor. Sei o quanto é difícil enfrentar o Flamengo com essa torcida maravilhosa. É o nosso décimo segundo jogador. Boa parte do público já está vacinado, boa parte já teve [Covid-19]. Com os cuidados, sou a favor da volta do público”, opinou.

Poupar jogadores

“Nenhum treinador quer poupar, quer sempre força máxima. Mas aí tem aquele papo com o preparador, o fisiologista. No momento que o exame te mostra que ele pode ter uma lesão, esse jogador ele é poupado”, disse Renato.

Reforços

Pergunta padrão, um jornalista questionou Renato Gaúcho sobre reforços. Com o pé no chão e destacando o elenco flamenguista, ele afirmou que “todo o treinador gosta de ter. Às vezes, nem sempre é possível, a gente tem que entender todos os clubes, não só o Flamengo, na parte financeira, devido à pandemia”.

Renato
Foto: Reprodução/SporTV

Em destaque