Carregando

Buscar

Futebol

Após fracasso na Eurocopa, Frank de Boer não é mais técnico da seleção holandesa

Compartilhe

A seleção holandesa anunciou na manhã desta terça-feira (29) a saída do técnico Frank de Boer. O treinador de 51 anos tinha contrato até o fim da Copa do Mundo de 2022, mas decidiu rescindir em comum acordo com a federação de futebol do país, após a eliminação nas oitavas de final da Eurocopa para a República Tcheca.

“Antecipando-me à avaliação, decidi não continuar como seleccionador nacional. O objetivo não foi alcançado, isso é claro. Estava ciente da pressão que viria sobre mim a partir do momento em que fui nomeado. Essa pressão só está aumentando agora, e isso não é uma situação saudável para mim, nem para o elenco a caminho da classificação para a Copa do Mundo”, afirmou de Boer. Ele comandou a Holanda em apenas 15 partidas desde que assumiu em setembro de 2020, com oito vitórias, quatro empates e três derrotas.

João Felix

Veja a nota oficial da federação holandesa de futebol:

“Após consultas em Zeist entre Nico-Jan Hoogma, Eric Gudde, Frank de Boer e seu agente Guido Albers esta tarde, foi decidido que ambas as partes se separarão com efeito imediato. Frank de Boer anunciou que não quer continuar, o que também está em linha com o contrato entre as duas partes, que exigia uma vaga nas quartas de final. Esse contrato, portanto, não será renovado.

Frank de Boer: “Antecipando-me à avaliação, decidi não continuar como treinador da seleção nacional. O objetivo não foi alcançado, isso é claro. Quando fui abordado para treinar a seleção em 2020, pensei que era uma honra e um desafio, mas também estava ciente da pressão que viria sobre mim a partir do momento em que fui nomeado, essa pressão só está aumentando agora, e isso não é uma situação saudável para mim, nem para o elenco a caminho da classificação para a Copa do Mundo. Quero agradecer a todos, é claro, aos torcedores e aos jogadores. Meus cumprimentos também à administração, que criou um verdadeiro clima esportivo de ponta aqui no campus.”

Nico-Jan Hoogma: “Apesar de todos os esforços de Frank, o objetivo de pelo menos chegar às quartas de final não foi alcançado. Se isso não tivesse sido alcançado, faríamos uma avaliação, o que possivelmente poderia ter produzido um resultado diferente. Tínhamos apostado numa melhor Eurocopa, mas não deu certo. A escolha de Frank acabou sendo diferente do que esperávamos. Um sucessor deve ser encontrado por mim, após uma boa consulta interna. É necessário fazer isso, porque no dia 1º de setembro jogaremos o importante jogo de classificação contra a Noruega, em Oslo. Agora vamos avaliar mais, de forma mais ampla do que apenas o treinador, aguçar o perfil, fazer o trabalho que se espera de nós aqui.”

Foto: Reprodução/Getty Images

Em destaque