Carregando

Buscar

Futebol Stick

Jogadores da seleção brasileira publicam manifesto e criticam Conmebol: “Somos contra a organização da Copa América”

Compartilhe

Após semana conturbada, os jogadores da seleção brasileira quebraram o silêncio com um manifesto criticando a Conmebol e a realização da Copa América. Apesar de insatisfeitos, os atletas convocados afirmaram que irão disputar a competição.

“Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas. Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil”, diz um trecho do texto publicado.

Foto: Getty Images
João Felix

Confira o manifesto:

“Quando nasce um brasileiro, nasce um torcedor. E para os mais de 200 milhões de torcedores escrevemos essa carta para expor nossa opinião quanto a realização da Copa América.

Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas.

Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil.

Todos os fatos recentes nos levam a acreditar em um processo inadequado em sua realização.

É importante frisar que em nenhum momento quisemos tornar essa discussão política.

Somos conscientes da importância da nossa posição, acompanhamos o que é veiculado pela mídia mídia estamos presentes nas redes sociais. Nos manifestamos, também, para evitar que mais notícias falsas envolvendo nossos nomes circulem à revelia dos fatos verdadeiros.

Por fim, lembramos que somos trabalhadores, profissionais do futebol. Temos uma missão a cumprir com a histórica camisa verde amarela pentacampeã do mundo. Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à Seleção Brasileira.”

Na noite da última terça-feira (09), o Brasil venceu o Paraguai por 2 a 0 pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. Após a partida, Marquinhos se pronunciou sobre a confusão envolvendo seleções, Copa América e a Covid-19. Segundo ele, nenhum jogador disse “não” ao Brasil, e por isso optaram por disputar o torneio.

“Mas quem falou que o momento era de não jogar (a Copa América)? A gente entende o trabalho de jornalistas e repórteres, mas eles têm que ter muito cuidado com as informações que eles passam, principalmente porque depois a gente é julgado por coisas que não são os fatos verdadeiros. Isso aqui é nosso sonho de criança, estar vestindo a camisa da seleção brasileira. Esse é o nosso orgulho, um dos maiores orgulhos para mim. Em momento algum a gente disse que se recusaria a vestir essa camisa. Temos que ter muito cuidado. A gente respeita muito o trabalho, mas eles não podem afirmar uma coisa assim, onde nem sabem se é verdade ou não”, declarou o jogador do Paris Saint-Germain.

A fala do presidente da CBF surge em meio a momentos turbulentos dentro da organização, uma vez que o cartola está em investigação após acusação de assédio sexual e moral por uma funcionária da entidade. O processo está sendo analisado na Comissão de Ética. Vale observar que, em meio às falas e movimentações por todos os lados, Bolsonaro não pode interferir nas 

Em destaque