Carregando

Buscar

Futebol

Vice de futebol pede desculpas por “maior vergonha” que já passou e afirma permanência de Ramírez no Inter

Compartilhe

A goleada de 5 a 1 sofrida pelo Inter frente ao Fortaleza precisou ser justificada pelo vice-presidente de futebol João Patrício Herrmann. Em coletiva após o jogo, o dirigente afirmou viver sua maior vergonha pelo clube, mas descartou a saída do treinador Miguel Ángel Ramírez.

“Estamos extremamente envergonhados pelo que aconteceu. É a maior vergonha que passei como dirigente. Quero pedir desculpas ao torcedor, associados. Envergonha diretoria, comissão, atletas. Miguel tem nosso respaldo. Trabalha diuturnamente para implantar o modelo. Trabalha com atletas e conosco em busca de soluções ao elenco. Em alguns momentos, tivemos dificuldades. Conseguimos reverter. Hoje foi um baque muito grande, mas o trabalho vai continuar”, disse.

“O Miguel foi escolhido para atuar este ano no Inter. É uma decisão da diretoria. Confiamos no trabalho do Miguel. Não é pelo dia de hoje que faremos alterações as alterações ocorrerão de uma forma enérgica internamente. Estamos muito constrangidos como ocorreram. Alguns erros, planejamentos malfeitos. Estamos avaliando para dar mais condições aos atletas. Há uma reunião forte entre eles agora no vestiário. Com todo respeito ao adversário, o Inter não é clube para levar 5 a 1”, concluiu.

João Felix

Imagem de capa: Ricardo Duarte/Internacional

Em destaque