Carregando

Buscar

Futebol

Juventus pode vender Dybala para equilibrar contas e coloca zagueiro como intocável; veteranos podem sair

Compartilhe

A Juventus vive uma temporada abaixo das expectativas e corre sério risco de ficar fora da próxima Liga dos Campeões, o que seria um grande vexame. Com isso, alguns atletas carimbados podem estar de saída e Paulo Dybala encabeça a lista, podendo render um bom dinheiro para a Velha Senhora. Além dele, Buffon, Chiellini e Cristiano Ronaldo podem deixar Turim. Enquanto isso, De Ligt é considerado intocável.

Sem um acordo pela renovação, Dybala pode ser um ativo importante para a Juve equilibrar as contas, independentemente de uma classificação ou não para a Liga dos Campeões. Segundo o site “Calciomercato”, o camisa 10 não tem pressa para sair e poderá esperar o fim de seu vínculo, que termina em 2022, para ter maior facilidade em encontrar um grande clube. Buffon e Chiellini, dois dos grandes ídolos da história bianconera, possuem contrato até o final desta temporada e devem deixar a equipe, é o que garante o jornal “La Gazzetta dello Sport”. Além deles, Cristiano Ronaldo estaria fazendo de tudo para voltar ao Manchester United, incluindo abaixar seu salário, como informa a imprensa italiana. Quem se salva é o holandês De Ligt. O zagueiro teria recebido ofertas de Barcelona e Chelsea, porém, ambas foram prontamente recusadas pela Juventus, de acordo com o jornal “The Sun”. 

João Felix

Paulo Dybala possui contrato com a Juve até 2022 e seu valor de transferências está fixado em 60 milhões de euros (cerca de R$ 390 milhões). Entretanto, com o pequeno intervalo para se tornar um atleta livre, o clube poderia diminuir a pedida para uma venda imediata. O mesmo acontece com Cristiano Ronaldo, que tem um passe de 50 milhões de euros (R$ 325 milhões, aproximadamente), mas, Agnelli considera vendê-lo por 20 milhões de euros a menos. A equipe de Andrea Pirlo volta a campo na próxima quarta-feira (12) e enfrentará o Sassuolo fora de casa. Os dados pertencem ao site especializado “Tranfermarkt”.

Foto: Getty Images.

Em destaque