Carregando

Buscar

Futebol

Vasco divulga balanço de contas de 2020 e revela de dívida superior a R$800 milhões

Jorge Salgado Vasco
Compartilhe

O Vasco divulgou nesta sexta-feira (30) o balanço de contas referente ao ano de 2020. Em evento online, a equipe revelou uma dívida líquida de R$832 milhões e os próximos passos a serem seguidos.

Adriano Mendes (VP de Finanças do Vasco), Jorge Salgado (Presidente), Carlos Roberto Osório (VP Geral) e Roberto Duque Estrada (2º VP Geral) comandaram a transmissão e explicaram como os números alcançaram a marca. Segundo Adriano, o quadro vascaíno precisa ser resolvido rapidamente, mas é entendido como díficil.

“Dívida alcançou R$ 832 milhões. Ele tem tanto no circulante quando no não-circulante é um saldo não exigível. Dívida muito alta, uma dívida de fato muito grande, a gente não deveria ter chegado nela. Patamar muito ruim para podermos tratar. O pior dela não é ser só grande, o pior é dela vencer R$ 350 milhões no curto prazo. Falamos de 40% vencendo no ano seguinte, que é o atual. Quadro bem ruim”

disse.

No entanto, o VP de Finaças explicou também como a equipe precisa se comportar para driblar a crise e não gerar ainda mais problemas. “É um quadro incompatível, não pode ser aceito como planejamento de gestão. A gente vai combater esse volume, tentar reestruturar e ter entendimento dos credores”, iniciou.

“A gente precisa ter superávit para tratar dívida de R$ 800 milhões, para ter time forte e ter o Vasco que queremos. O desafio é grande. Em 2020, tivemos R$ 192 milhões de receitas e despesas da ordem de R$ 250 milhões. Isso só mostra o quão duro foram as demissões que fizemos. Ninguém gosta de demitir, conheço os funcionários. São dedicados. É duro, mas infelizmente é o que a gente tinha de fazer. Temos receita de R$ 100 milhões e a despesa não poderia continuar de R$ 250 milhões”

acrescentou.

Adriano falou também sobre a reformulação do departamento de futebol com a chegada de Alexandre Pássaro. Segundo ele, “nesse momento, estamos atacando isso. Reformulação completa de processo, perfil e procedimentos, mas é também no custo. A pior despesa é aquela que você não sabe pagar. A gestão do futebol, se for ineficiente, isso carrega ineficiência para todo o clube”.

Já Jorge Salgado preferiu falar diretamente com a torcida vascaína, já que os valores podem assustar. De acordo com ele, a reformulação administrativa já mostra resultados nos primeiros três meses de 2021. “Os primeiros resultados começaram a aparecer, trouxemos o Marcelo Cabo como treinador. Conseguimos renegociar contratos, transferir jogadores e contratar outros jogadores. Começamos a temporada da Série B com muito otimismo. Acho que estamos organizados”, avaliou.

Foto de capa: Jorge Perci/Vasco

João Felix

Leia também:



Em destaque