Carregando

Buscar

Futebol

Membro do Comitê da Uefa quer exclusão de City, Chelsea e Real da Liga dos Campeões; decisão será feita nos próximos dias

Compartilhe

A criação da Superliga Europeia movimentou o mundo do futebol nas últimas 24 horas. A partir disso, a Uefa se tornou uma das mais insatisfeitas com a atitude tomada pelos 12 clubes mais ricos do mundo em criar uma competição à parte. Neste sentido, Josep Moller, membro do Comitê Executivo da Uefa, defendeu a exclusão do Manchester City, Chelsea e Real Madrid das semifinais da atual edição da Liga dos Campeões.

“Os clubes devem sair (da Liga dos Campeões), e espero que isso aconteça na sexta-feira (em reunião do Comitê Executivo da Uefa). E aí teremos que encontrar um jeito de encerrar a Champions (dessa temporada)”, disse em entrevista para a agência “Reuters”. Aleksander Čeferin, presidente da Uefa, afirmou que a intenção da entidade é banir os clubes envolvidos o mais rápido possível. Uma reunião será realizada nos próximos dias para definir o futuro das equipes.

Diferente do que foi dito nas redes sociais, o Paris Saint-Germain, único semifinalista que não entrou na Superliga, não seria coroado o vencedor da Liga dos Campeões. Veículos apontam que a solução seria repor as lacunas deixadas pelos times da Superliga. Assim sendo, times eliminados nas quartas de final, como Porto, Borussia Dortmund e Bayern de Munique herdariam a vaga. O Liverpool, eliminado pelo Real, também faz parte da Superliga e não estaria apto.

João Felix

Na Liga Europa, o cenário não é diferente, visto que Arsenal e Manchester United, dois dos semifinalistas, também fazem parte do grupo fundador da Superliga. A decisão sobre o futuro da competição também será definida na reunião do Comitê Executivo nos próximos dias.

Imagem de capa: Getty Images

Em destaque