Carregando

Buscar

Futebol Stick

Clubes oficializam a criação da Superliga da Europa após nota de repúdio da Uefa

Compartilhe

Após polêmica envolvendo a criação de uma nova competição chamada Superliga Europa, os clubes fundadores emitiram um comunicado oficializando o novo torneio, que deve ter início já no meio do ano. Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham se juntaram a Atlético de Madrid, Barcelona, Inter de Milão, Milan, Juventus e Real Madrid e são as equipes fundadoras.

De acordo com a “BBC”, mais três times ingressarão à Superliga. Embora a Uefa tenha se mostrado contrária a criação de uma nova competição, com multa bilionária, os dirigentes acreditam que possam trabalhar em conjunto com a entidade e também com a Fifa. No entanto, clubes como PSG e Bayern de Munique já se pronunciaram contra a nova liga, além das federações das grandes ligas europeias. 

A ideia, no entanto, é substituir a Liga dos Campeões, principal disputa europeia, e poderá impactar nos campeonatos nacionais. A princípio, a primeira edição não contará com equipes francesas, alemãs e holandesas, que preferem apoiar a decisão da Uefa. 

“Ao reunir os maiores clubes e jogadores do mundo para jogarem uns contra os outros ao longo da temporada, a Super League abrirá um novo capítulo para o futebol europeu, garantindo competição e instalações de classe mundial e maior apoio financeiro para a pirâmide futebolística mais ampla”, disse o co-presidente do Manchester United, Joel Glazer e vice-presidente.

Já o primeiro presidente e também mandatário do Real Madrid, Florentino Pérez enalteceu a nova liga. “Vamos ajudar o futebol em todos os níveis e levá-lo ao seu devido lugar no mundo. O futebol é o único esporte global do mundo com mais de quatro bilhões de fãs e nossa responsabilidade como grandes clubes é responder aos seus desejos”.

O dirigente da Juventus e atual vice-presidente da Superliga da Europa também se mostrou contente com a oficialização do torneio. “Nossos 12 clubes fundadores representam bilhões de fãs em todo o mundo e 99 troféus europeus. Reunimo-nos neste momento crítico, permitindo que as competições europeias se transformassem, colocando o jogo que amamos numa base sustentável para o futuro a longo prazo, aumentando substancialmente a solidariedade e dando aos adeptos e jogadores amadores um fluxo regular de jogos de destaque que irão alimente sua paixão pelo jogo e, ao mesmo tempo, forneça modelos de comportamento envolventes”.

Foto de capa: Reprodução/Liverpool

Formato de competição

  • 20 clubes participantes com 15 clubes fundadores e um mecanismo de qualificação para que mais cinco equipes se qualifiquem anualmente com base nas realizações da temporada anterior;
  • Os jogos do meio da semana com todos os clubes participantes continuando a competir em suas respectivas ligas nacionais, preservando o calendário tradicional de jogos domésticos, que permanece no centro do jogo de clubes;
  • Um início de agosto com os clubes participando em dois grupos de dez, jogando em casa e fora, com os três primeiros em cada grupo se classificando automaticamente para as quartas de final. As equipes que terminarem em quarto e quinto lugar competirão em um play-off de duas mãos pelas posições restantes nas quartas-de-final. O formato de mata-mata de duas mãos será usado para chegar à final no final de maio, que será disputada em um único jogo em local neutro.

Em comunicado oficial, o Liverpool explicou o porquê resolveu aderir a ideia dos clubes e se juntar neste novo torneio. 

“O novo torneio anual proporcionará um crescimento econômico significativamente maior e apoio ao futebol europeu por meio de um compromisso de longo prazo com pagamentos de solidariedade ilimitados, que crescerão de acordo com as receitas da liga. Estes pagamentos de solidariedade serão substancialmente mais elevados do que os gerados pela atual competição europeia e deverão ser superiores a € 10 bilhões durante o período de compromisso inicial dos Clubes. Além disso, a competição será construída sobre uma base financeira sustentável com todos os Clubes Fundadores se inscrevendo em uma estrutura de gastos. Em troca de seu compromisso, os Clubes Fundadores receberão um montante de € 3,5 bilhões exclusivamente para apoiar seus planos de investimento em infraestrutura e para compensar o impacto da pandemia da Covid-19”.

Em destaque