Carregando

Buscar

Futebol

“Poderá ser utilizada em 2022”, diz Arsene Wenger sobre tecnologia de impedimento

Compartilhe

Arsene Wenger, ex-treinador do Arsenal, concedeu entrevista ao programa “Living Football”, da Fifa, e revelou que a entidade está estudando a possibilidade de aumentar a checagem de lances decisivos já para 2022.

“Acho que o impedimento automatizado estará pronto para 2022. Automatizado significa que vai diretamente do sinal para o bandeirinha e esse bandeirinha terá em seu relógio uma luz vermelha que indica impedimento ou não. O semiautomático vai primeiro para o VAR e não para o bandeirinha. Mas, estou pressionando muito para que mude“, revelou Wenger, que possui cargo dentro da Fifa.

Ele continua sua fala avaliando o tempo demorado para checagem de lances em que o jogador está à frente da linha do adversário, algo que, para ele, é demorado. “No momento temos situações em que os jogadores não sabem se estão impedidos ou não. Em média, o tempo que temos que esperar é de cerca de 70 segundos, às vezes um minuto e 20 segundos, às vezes um pouco mais quando a situação é muito difícil de avaliar”, explicou.

João Felix

Segundo Wenger, a parte que ele mais lamenta em relação à demora de avaliação é a da comemoração após sequências que terminam em gol. “Isso é importante porque vemos muitas comemorações serem canceladas depois de ter sido confirmado o lance. Por isso acredito que é um passo muito importante”, finalizou.

Teste em 2019

Em 2019, durante o Mundial de Clubes, a International Football Association Board (IFAB) realizou testes com a tecnologia de detecção imediata de impedimento. No entanto, segundo informações, não foi bem recebido, visto que alguns lances continuram sob questão.

Foto de capa: Getty Images

Em destaque