Carregando

Buscar

Futebol

Atualmente no Mirassol, Alex Muralha revela mágoa por críticas no Flamengo: “Me senti como um bandido”

Compartilhe

Alex Roberto Santana Rafael, mais conhecido como Alex Muralha, coleciona polêmicas na carreira, principalmente na época em que defendia o Flamengo devido às falhas. Em entrevista ao “Globo Esporte”, o goleiro revelou mágoas por conta das críticas e disse que se ‘sentia uma bandido’.

“Eu me senti como um criminoso, bandido. Aquele jogo do Cruzeiro ficou muito marcado por ter caído apenas para um lado na decisão de pênaltis. Foi uma escolha minha, estudei e acabou não dando certo. Se desse, a história teria sido outra”.

A partida em questão foi na final da Copa do Brasil de 2017, contra o Cruzeiro, no Mineirão. Na decisão dos pênaltis, Muralha caiu para o mesmo lado nas cinco batidas, não defendeu nenhuma e ainda recebeu milhares de críticas devido ao seu desempenho. Pelo Flamengo, fez 77 jogos entre 2016 e 2018, sendo campeão Carioca em 2017.

Foto de capa: Getty Images
João Felix

Atualmente no Mirassol, o goleiro soma passagem pelo Coritiba e também seleção brasileira. Questionado sobre a época em que defendeu o Flamengo, ele desabafou e revelou como foi lidar com a pressão.

“Sofri muito, carrego até hoje. Saí do Flamengo em 2017 e até hoje carrego isso. Sei do meu valor, da minha qualidade, mas certas situações vão em um ponto que foge do lado profissional e atinge o pessoal. Muito pesado, hoje soubemos assimilar isso e temos uma cabeça muito boa. Para onde for, o que fizer será muito falado”.

Muralha ainda revelou que as críticas afetaram diretamente sua família: “Fui muito criticado e de certa forma atingiu muito a minha mãe. Disse para ela sair, esquecer aquilo, mas mesmo assim ela queria de alguma forma me proteger. Acabou tomando remédios para dormir, aquilo me chateou muito e me pegou. Saíram do futebol e começaram a influenciar minha vida pessoal. Mesmo assim, valeu a pena passar por tudo isso porque meu sonho sempre foi ser jogador profissional. Hoje é muito fácil criticar, fazer que é difícil”.

Sobre sua passagem pelo Flamengo, o atleta considera que foi positiva e relembrou o seu início no clube. “Minha passagem pelo Flamengo considero positiva, para maioria das pessoas talvez não. No meu primeiro ano no clube ficamos quase oito meses sem perder, brigamos pelo título, fui para a Seleção. Fui campeão estadual invicto, brigamos pelo título em todos os campeonatos. O que o Bandeira plantou naqueles anos o clube está colhendo agora. Eu sabia que mais cedo ou mais tarde voltaria a ser o grande clube que deveria sempre ser. Sou grato ao Flamengo”.

Convocado por Tite três vezes, Muralha disse que muda a vida do jogador, além de ressaltar grandes nomes que você atua ao lado, como Neymar, Daniel Alves, Alisson e Firmino. “Muda muito. Você olha do lado e vê o Daniel Alves, do outro tem o Neymar, Willian, Firmino, Alisson, melhor goleiro do mundo. Você fica em choque vendo onde conseguiu chegar, ali você se sente bem. Todos são muito humildes e tratam bem. É um ambiente diferente, não é fácil chegar numa seleção brasileira e pude ter essa oportunidade, que está para sempre guardada no meu coração”.

Agora no Mirassol, Muralha comentou sobre o que espera da carreira no auge dos seus 31 anos. “Muitas pessoas que não me conhecem ficam surpreendidas pela minha idade (31 anos). De fato, vivi muitas coisas no futebol e na vida que talvez uma pessoa de 31 anos não tenha vivido ainda. Estou feliz por jogar no Mirassol, um lugar onde me sinto em casa. O Paulistão é um campeonato bom para disputar, uma decisão muito bem pensada. Preciso estar jogando, terei que fazer por merecer a vaga no time e preciso estar jogando para no segundo semestre acontecer algo melhor. Penso em ter grandes conquistas pelo Mirassol, vou dar a vida e buscar o topo da tabela, brigar pelo título. Temos estrutura, condições e grandes atletas. Meu foco principal é jogar futebol”.

Em destaque