Carregando

Buscar

Futebol

Ministério Público do Rio de Janeiro denuncia jogador Marcinho, ex-Botafogo, por homicídio culposo

Compartilhe

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou o jogador Marcinho, ex-Botafogo, por homicídio culposo – quando não há a intenção de matar – pelo atropelamento dos professores Maria Cristina José Soares e Alexandre Silva de Lima, no dia 30 de dezembro, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.

A denúncia foi agravada já que o lateral não parou para prestar socorro às vítimas. A pena prevista para o crime culposo é de dois a quatro anos de prisão, aumentada de um terço se o agente não prestar socorro. As informações foram divulgadas pelo jornal “O Dia”.

De acordo com o jogador, ele não socorreu as vítimas com medo do linchamento e garantiu que não estava embriagado e dirigia em baixa velocidade – cerca de 60km/h, abaixo do limite de 70km/h da pista. 

No entanto, segundo a publicação do jornal, Marcinho estava acima da velocidade permitida quando trafegava pela Avenida Lúcio Costa. Apesar da versão, o veículo, uma Mini Cooper preta, ficou destruído. 

“Utilizando o Modelo de Happer, com base na distância de projeção do pedestre, a velocidade do veículo objeto do exame, varia entre 86 Km/h e 110 Km/h”, diz um trecho do documento.

João Felix

Em destaque