Carregando

Buscar

Futebol

Árbitro relata na súmula xingamentos de dirigentes do Inter e invasão de campo de Rodinei em empate com o Corinthians

Compartilhe

Além do empate com o Corinthians por 0 a 0, no Beira-Rio, que culminou no vice-campeonato do Inter, a partida teve revolta dos colorados com a arbitragem. Na súmula, o juiz Wilton Pereira Sampaio citou ofensas de dirigentes, entre eles o presidente Alessandro Barcellos, e a invasão de campo nos minutos finais, de acordo com o “Globo Esporte”.

A principal polêmica, no entanto, foi o pênalti não marcado a favor da equipe gaúcha no primeiro tempo do confronto. A bola bateu no braço de Ramiro, do Corinthians, que deu um carrinho para impedi-la de chegar ao gol. O árbitro assinalou a infração, mas conferiu o lance no VAR, que cancelou a penalidade.

Após, Yuri Alberto teve um gol anulado por impedido, novamente com auxílio do árbitro de vídeo. No intervalo de jogo, enquanto a equipe de arbitragem se dirigia para o túnel do Beira-Rio, Sampaio identificou xingamentos de dirigentes colorados.

Foto de capa: Getty Images
João Felix

Wilton ainda revela que, aos 19 minutos do segundo tempo, teve que interromper o jogo por conta de “reclamações acintosas vindas da arquibancada”. Segundo ele, os responsáveis foram lateral-direito Rodinei, que estava suspenso, o presidente Alessandro Barcellos, o vice-presidente Arthur Caleffi, o vice de futebol João Patrício Herrmann e o coordenador científico Rafael Barleze.

Nas observações, também consta a invasão de campo de Rodinei depois do gol marcado por Edenilson, aos 51 minutos da partida, que foi anulado devido a um impedimento. Ao fim, identifica membros da direção colorada em xingamentos aos árbitros após o apito final.

Foto: Reprodução

Em destaque