Carregando

Buscar

Futebol

Bruno Viana evita comparações com Marí, cita Jorge Jesus e afirma: “Empolgado para correr como um menininho de cinco anos”

Compartilhe

Bruno Viana foi oficialmente apresentado no Flamengo. O zagueiro é o primeiro reforço na temporada e assinou um contrato de empréstimo até o fim de 2021. Bruno se apresentou como zagueiro técnico e rápido. “Me vejo como um zagueiro técnico, rápido nas coberturas, prefiro jogar do lado direito, mas se for preciso atuo na esquerda. Tenho bom passe, uma leitura boa de jogo, e no decorrer dos treinos vou tentar me adaptar rápido à maneira que o Rogério trabalha”, iniciou.

Por conta da janela de transferências internacionais estar fechada, Bruno só poderá jogar a partir do dia 1º março. “Chego para ajudar a equipe a conquistar títulos, que é o mais importante, e fazer a minha história, que tem que ser grande. Quero deixar tudo que tenho do meu potencial aqui. O sonho de qualquer jogador é jogar no Maracanã cheio com a torcida do Flamengo. Na Europa, também se fala isso. Estou empolgado para correr nesse campo como um menininho de cinco anos, mas preciso ter calma”, disse.

Bruno chega ao Flamengo para compor a dupla de zaga com Rodrigo Caio, lacuna que foi deixada por Pablo Marí ao trocar o Rubro-Negro pelo Arsenal na temporada passada. Na apresentação, o zagueiro evitou comparações. “Ele chegou e em tão pouco tempo conseguiu fazer coisas boas, conquistar títulos, agora está no Arsenal. Meu desejo não é diferente. Quero estar aqui, jogar, trabalhar, me dedicar, conquistar títulos para depois voltar à Europa em um grande clube. Torço por mim para isso”, comentou.

João Felix

Antes jogador do Braga, de Portugal, Bruno Viana citou o confronto com Jorge Jesus, treinador que conquistou tudo pelo Flamengo em 2019: “Eu tive a oportunidade de jogar contra ele (Jorge Jesus). Se ele deixou um legado dele aqui, eu também quero deixar a minha também”.

Outros pontos chave da entrevista: 

Saída pelas portas de trás do Braga

– Esse é um assunto que já foi resolvido entre eu e o Carvalhal. Não quero aprofundar muito. Quero aproveitar o momento para agradecer ao Braga pelos quatro anos que passei lá, pelos 150 jogos que fiz, pelo recorde de invencibilidade na Liga Europa… Não quero tocar mais nesse assunto do Carvalhal. Agora, estou feliz no Flamengo e não vejo a hora de jogar.

Vaga na Seleção 

– Está na meta de qualquer jogador de futebol. Vou trabalhar para chegar à seleção brasileira principal. Eu já tive no Sub-20. Agora vou trabalhar para chegar também à principal.

Juan como ídolo 

– Acredito que eu possa entrar na história do Flamengo. Um dos meus ídolos é o Juan e o melhor zagueiro do Flamengo, na minha opinião, é o Rodrigo Caio. Pela técnica, pela liderança. Já reservei meu lugarzinho do lado dele e vou me inspirar.

Contato com Leo Moura

– Léo Moura é um ídolo do Flamengo. É um ídolo para mim também. Foi um prazer ter o conhecido. Fico feliz demais. Foi um sonho realizado em conhecer o Léo Moura. Ele esteve sempre presente com os meus empresários para eu estar aqui.

Imagem de capa: Reprodução/Flamengo

Em destaque