Carregando

Buscar

Futebol

São Paulo: venda de Brenner bate 46% de meta do ano e indica venda de outros jogadores

Compartilhe

A venda de Brenner ao FC Cincinnati, dos Estados Unidos, significa que o São Paulo abre as portas para atingir uma meta orçamental de 2021. O valor pago pelo clube americano será de 13 milhões de dólares, mais um bônus de 2 milhões de dólares caso ele faça dez jogos pelo time, somando um total de R$ 80,7 milhões. Assim sendo, o valor corresponde a 46% dos R$ 176 milhões previstos no orçamento do clube para negociação de direitos econômicos de atletas.

Portanto, para atingir a meta, o São Paulo irá ter que se desfazer de outros jogadores. Com dívidas estimadas em R$ 600 milhões, o clube possui capacidade baixa de investimento. O mesmo orçamento aponta por volta de R$ 37 milhões para contratações, menos da metade do que foi arrecadado na temporada passada com a venda de jogadores.

No orçamento de 2020, apesar de não fechado, foi citado um valor de R$ 137 milhões em vendas. No ano em questão, o Tricolor vendeu Antony e, na mesma negociação, conseguiu mais sete milhões de euros (R$ 32 milhões) por 20% dos direitos de David Neres. Gabriel Sara, Igor Gomes e Luan, jogadores oriundos da base, tendem a ser os próximos vendidos.

João Felix

Outra esperança do São Paulo para atingir a meta é o jovem atacante Helinho, atualmente emprestado ao RB Bragantino. Existe uma cláusula de opção de compra para que o Massa Bruta pague R$ 25 milhões por 65% dos direitos do jogador. O pagamento pode ser efetivado até 2022, caso se confirme.

Além do mais, está previsto para março o início do pagamento de valores que foram descontados dos salários de jogadores no ano passado, quando os campeonatos foram paralisados por conta da pandemia de Covid-19. Ao todo, serão pagos R$ 14 milhões em 12 parcelas.

Imagem de capa: Reprodução/São Paulo

Em destaque