Carregando

Buscar

Futebol

Fifa divulga que brasileiros representam 11% de todas as transferências de 2020 e movimentam R$ 4 bilhões no ano

Compartilhe

O Brasil segue liderando o ranking de transferências mundiais. Em um relatório divulgado pela Fifa, de cada 100 transferências internacionais realizadas em 2020, pelo menos 11 envolviam jogadores brasileiros.

De cada U$ 100 investidos em um atleta profissional de futebol no ano passado, U$ 13 foram gastos com um jogador brasileiro. Foram 17077 transferências no ano passado, das quais 2008 eram de brasileiros, um recorde.

O ranking de nacionalidade entre as transferências internacionais sempre foi liderado pelo Brasil com folga, desde 2012, e o segundo colocado de todos os anos são os argentinos. Em 2020, foram 899 transferências com jogadores do país vizinho.

João Felix

No entanto, a pandemia afetou o mercado. Em 2020, o total gasto foi de U$ 5,63 bilhões (R$ 30,78 bilhões), quase U$ 2 bilhões a menos que 2019 e menor valor desde 2016.  U$ 734 milhões (R$ 4 bilhões) foram desembolsados em transações que envolviam jogadores brasileiros.

A ida de Arthur do Barcelona para a Juventus por € 72 milhões (R$ 442 milhões na cotação atual da época), foi segunda transferência mais cara de 2020 e a maior envolvendo um brasileiro. Segundo a Fifa, apenas a venda de Havertz pelo Bayer Leverkusen para o Chelsea por € 80 milhões (R$ 491 milhões) ficou à frente no ano passado.

Em destaque