Carregando

Buscar

Futebol

Cruzeiro pode perder jogadores da base por contratos fora do padrão Fifa

Compartilhe

O Cruzeiro enfrenta uma crise econômica e a situação pode ser agravada com a perda de jogadores da base, que poderiam servir como fonte de renda para aliviar os impactos negativos causados pelas últimas gestões. De acordo com o “UOL Esporte”, diversos contratos dos jovens foram assinados quando Wagner Sá Pinto era presidente e estão fora do padrão Fifa.

A publicação afirma que a entidade máxima de futebol não reconhece vínculos com mais de três anos a atletas com menos de 18 anos. No entanto, o ex-mandatário firmou contrato com validade de cinco anos em 2018.

Um dos jogadores que pode ter que deixar o clube é Alejando Viniegra. Além deles, outros que vivem uma situação parecida são Ageu (volante), Alisson e Weverton (zagueiros), Rodrigo Brazilio (goleiro), Kaiki e Danilo (laterais) e Vitinho (meia) – que pertence ao Cruzeiro, mas está emprestado ao Palmeiras.

João Felix

De acordo com o artigo 18.2 da Fifa que trata sobre status e transferências de jogadores, “o prazo mínimo de um contrato deve ser a partir de sua data efetiva até o fim da temporada, enquanto o prazo máximo de um contrato deverá ser de cinco anos. Contratos com quaisquer outros prazos só serão permitidos de acordo com leis nacionais. Jogadores com menos de 18 anos de idade não poderão assinar um contrato profissional por um período maior do que três anos. Qualquer cláusula que se refira a um período maior não deve ser reconhecida”, aponta

Alguns dos atletas citados na reportagem são constantemente convocados para as divisões inferiores da seleção brasileira. Caso de Rodrigo Basílio e o próprio Alejandro. Esse último, inclusive, tem dupla cidadania mexicana e também foi convocado para a seleção sub-20 do México.

Leia também:



Em destaque