Carregando

Buscar

Futebol

Bandeira de Mello e mais 10 viram réus por incêndio no Ninho

Compartilhe

Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo, e outras 10 pessoas viraram réus no caso do incêndio do Ninho. Os denunciados irão responder por incêndio culposo qualificado pelos resultados de lesão grave e morte. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro recebeu a denuncia do Ministério Público nesta terça (19). O incêndio no CT do Ninho do Urubu aconteceu em fevereiro de 2019 deixando 10 vítimas fatais além de três atletas da base feridos.

Além de Bandeira de Mello, Antonio Marcio Garotti (ex-diretor financeiro), Carlos Renato Mamede Noval (atual diretor de transição), Marcelo Maia de Sá (ex-diretor de obras), Luiz Felipe Almeida Pondé (ex-engenheiro), Claudia Pereira Rodrigues (diretora da NHJ, fabricante dos contêineres), Weslley Gimenes (engenheiro da NHJ), Danilo da Silva Duarte (engenheiro da NHJ), Fabio Hilário da Silva (engenheiro da NHJ), Edson Colman da Silva (técnico de refrigeração) e Marcus Vinicius Medeiros (monitor) são outros 10 nomes que foram denunciados.

João Felix

Os réus poderão sofrer pena de 1 ano e 4 meses a 4 anos de detenção, com aumento de pena de um sexto até a metade. Entretanto, não há previsão do cumprimento ser em regime fechado, portanto, no máximo em regime semiaberto. O MP ainda receberá depoimentos de 53 pessoas, dentre elas Rodolfo Landim, presidente do Flamengo e do vice Rodrigo Dunshee.

Foto: Reprodução

Tags

Em destaque