Carregando

Buscar

Futebol Stick

Atrasos, mudança de horário dos treinos e interferência de jogadores: jornalista revela bastidores da crise interna do Flamengo

Compartilhe

O Flamengo enfrenta um período turbulento além dos maus resultados dentro de campo. De acordo com o jornalista Venê Casagrande, do jornal “O Dia”, o clima dos bastidores desde a chegada de Rogério Ceni não tem sido dos melhores.

Com o novo treinador, alguns jogadores têm tentado opinar e fazer mudanças em situações do dia a dia de treinamentos. Certo dia, líderes do elenco, como Diego e Filipe Luís, pediram a Rogério Ceni que mudasse a hora da atividade, que aconteceria no período da tarde para a manhã, com o intuito de participarem de um compromisso pessoal.

A alteração no horário, no entanto, não repercutiu bem entre alguns atletas do elenco, como Gerson e jovens atletas, uma vez que não foi um pedido que partiu de todo o grupo.

João Felix

O jornalista ainda revela que os horários de treinos não têm sido respeitados como era na época com Jorge Jesus. O português adotou uma “caixinha de multa”, enquanto Ceni permite o atraso de alguns minutos. Até mesmo a contratação de novos profissionais estão tendo “pitacos” dos jogadores.

Diego, Filipe Luis e Rodrigo Caio indicaram Rafael Winick, preparador físico que foi contratado recentemente, mesmo sem nunca ter trabalhado em clube de futebol anteriormente. Já Willian Arão indicou o fisioterapeuta Lanyan.

O fato de Ceni ter diálogo apenas com os líderes da equipe, como Diego, Filipe Luís, Diego Alves, Arão e Rodrigo Caio também incomoda o restante do grupo. Nos bastidores, o que se diz é que a “panela 85 ou panela da igreja” é quem está comandando o clube. O meia Diego Ribas faz parte das duas.

Em destaque