Carregando

Buscar

Futebol

Precisando de reforço? Saiba alguns nomes do futebol brasileiro que estão livres no mercado em 2021

Compartilhe

Apesar do calendário do futebol brasileiro de 2020 ter sido alterado pela pausa por conta da pandemia da Covid-19 e o final de grande parte dos campeonatos ter sido adiado para 2021, as equipes já começam a sondar novos jogadores para reforçar seus elencos para a próxima temporada. 

Uma boa oportunidade de mercado para os times é a contratação de atletas que terminaram seus vínculos em 2020 ou que que a validade de seus contratos vai até meados de 2021, possibilitando a assinatura de um pré-contrato já em janeiro.

Sendo assim, a lista a seguir mostra dez nomes de jogadores que já atuaram na elite do futebol nacional e podem reforçar a sua equipe:

Dedé

Andrés D’Alessandro: Depois de 12 temporadas a serviço do Internacional, o meia argentino de 39 anos decidiu não renovar seu contrato com a equipe gaúcha, está livre para assinar com um novo clube e já teve seu nome ligado ao Argentino Juniors e ao futebol chinês. Apesar da idade avançada, D’Ale ainda pode ser um bom armador a nível nacional.

Dentinho: O ex-atacante do Corinthians recentemente marcou pelo Shakhtar Donetsk em confronto com o Real Madrid, válido pela Liga dos Campeões, mostrando que seu faro de gol ainda está apurado. Apesar disso, Dentinho não vem sendo aproveitado como titular pelo time ucraniano e, apesar de ter dito que sua preferência é voltar para o Timão, pode ser opção de ataque para 2021.

Felipe Vizeu: Emprestado pela Udinese para o Ceará até junho de 2021, o jogador do Flamengo ainda não engrenou no futebol europeu e, por ter contrato até 2023, pode ser novamente emprestado pelos italianos para ganhar rodagem no Brasil.

Leandro Damião: Depois de algumas temporadas apagadas, Damião conseguiu bons números e foi campeão do Campeonato Japonês pelo Kawasaki Frontale em 2020. Apesar de ter somado 13 gols e seis assistências, o atacante não teve seu contrato renovado e pode ser repatriado em 2021.

Mauro Boselli: O atacante argentino ficou duas temporadas no Corinthians, com altos e baixos, e depois de passar o ano de 2020 sendo reserva de Jô foi liberado pelo Timão para buscar novos ares. Com 35 anos, o jogador já teve seu nome ligado a clubes do México, do Uruguai e ao Boca Juniors, mas ainda tem seu futuro indefinido.

Robinho: Contratado pelo Grêmio após ser rebaixado com Cruzeiro em 2019, Robinho não conseguiu retomar as boas atuações e não vem sendo aproveitado por Renato Portaluppi. Com contrato se encerrando no final de fevereiro, o meia pode pintar em alguma nova equipe em 2021 para tentar retomar o bom futebol mostrado no início da sua passagem pela Raposa e pelo Palmeiras.

Taison: Titular do Shakhtar Donetsk há anos, Taison teve seu ápice na carreira ao ser convocado para Copa do Mundo de 2018 por Tite. Dois anos e meio depois, mesmo com o protagonismo no clube ucraniano, Taison entra em 2021 a seis meses de ter seu contrato encerrado. O jogador, formado pelo Internacional, já declarou que quer voltar ao clube, mas uma boa proposta pode balançá-lo e mudar seu futuro. 

Thiago Neves: O meia de 35 anos passou por Grêmio e Sport em 2020 e ainda teve uma polêmica ligada a seu nome sobre uma possível ida ao Atlético-MG. Apesar disso, Thiago se restringiu a atuações discretas, tanto pelo time gaúcho, quanto pelo pernambucano. Com contrato se encerrando no final do Campeonato Brasileiro, o meia pode buscar novos ares para recuperar seu futebol.

Wellington: O ex-volante e capitão do Athletico Paranaense sai de Curitiba depois de dois anos e meio com a camisa do Furacão. O jogador já teve seu nome ligado a Cruzeiro, Fluminense, Grêmio e Santos e é uma boa opção de meio-campo para 2021.

Wellington Silva: Com passagens por Arsenal, Internacional e pelo futebol espanhol, Wellington Silva retornou para o Fluminense, seu clube formador, em 2018 e apesar de ter tido alguns bons momentos com a camisa tricolor, não emplacou. O atacante que joga pelas beiradas do campo terá seu contrato encerrado em meados de 2021 e pode ser opção de ataque para algumas equipes no Brasil.

Leia também:



Em destaque