Carregando

Buscar

Futebol

Sem papas na língua: 10 falas que marcaram o futebol em 2020

Compartilhe

2020 está chegando ao fim e o futebol escreveu muitas histórias ao longo do ano. Não só dentro das quatro linhas, mas fora delas, boleiros fizeram questão de se expressar em assuntos polêmicos, provocar adversários e mostrar seu lado sentimental em ocasiões especiais, como a morte de Diego Maradona. 

Como de praxe, Neymar foi um dos nomes que mais se destacou no futebol, tanto no lado positivo, quanto no lado negativo. Ao longo de 2020, o brasileiro não só respondeu a provocações na Liga dos Campeões, como também protestou em rede social. Confira abaixo 10 falas que marcaram o ano do futebol.

Neymar x Haaland

PSG e Borussia Dortmud se enfrentaram nas oitavas de final da última Liga dos Campeões. Depois de vencer a partida de ida, Erling Braut Haaland, do Borussia, postou uma imagem quando chegou em Paris, afirmando que ali era a “sua cidade”. Depois da partida de volta em que o PSG se classificou com dois gols de Neymar, o brasileiro respondeu à altura. “Paris é nossa cidade, não sua”.

João Felix

Neymar x Fifa

Deixado de fora dos três finalistas do prêmio de melhor jogador do mundo, Neymar usou o Twitter para protestar contra a decisão da entidade máxima do futebol. Na postagem, o atacante ironizou que iria se mudar para o basquete. 

Felipe Melo x Edílson

Felipe Melo deixou sua marca registrada em 2020. Em entrevista no “Donos da Bola”, Edílson falou sobre uma atitude do zagueiro do Palmeiras. “Eu vi uma entrevista sua em que você não cita o meu nome, mas eu sei que você falou para mim, que tem alguns comentaristas que querem aparecer ao falar de você. Eu só quero dizer que eu fiz aquele comentário sobre o negócio do boxe porque é uma coisa que eu treino… Eu brinquei, mas você falou que eu queria aparecer através do seu nome. Só quero dizer que, pela amizade que a gente tem, por tudo que a gente já jogou e pelo respeito que tenho por você, eu não tenho necessidade de aparecer”, disse. 

Felipe respondeu: “Se a carapuça serviu, cara, eu não posso fazer nada. Eu não citei seu nome. É uma situação na qual você se incomodou. Aí é com você, cara. Eu não citei seu nome. Não sou lutador de boxe. Eu faço jiu-jitsu há muitos anos. O treinador me ajudou a dar uma suada, eu acabei fazendo um vídeo. Confesso para você que, se eu entrar no ringue com você, você não dura cinco minutos, mesmo eu não fazendo boxe. (…) Naquele dia ali, eu não falei de você. Foram outros ex-atletas, inclusive um de forma mais direta, no campo de futebol. Mas, é como eu falei, se a carapuça serviu, é contigo. Tenho muito respeito por você, e muita gratidão, porque você e o Vampeta me ajudaram muito quando eu subi para o profissional”.

Renato Gaúcho 

“O Grêmio vai muito bem, obrigado, no Brasileiro. Estou cheio de ver cavalos paraguaios por aí, todo ano a mesma coisa. Quero ver a reta final, na chegada. Agora não estou preocupado. De cavalo paraguaio, estou cheio. Daqui a 10 rodadas vamos ver quem é quem. O meu grupo vai brigar pelo título, pode escrever. Disso não tenho dúvidas. Querem criticar com quatro ou cinco rodadas, é o direito de vocês. Pela 15ª, 16ª rodada, voltamos a conversar”, afirmou Renato no começo do Brasileirão.

Neto x Neymar

Por organizar uma festa de ano novo com muitos convidados no meio de uma pandemia, Neymar foi fortemente criticado. Uma das críticas mais duras veio de Neto, comentarista esportivo e ex-jogador. 

Jorge Jesus sobre racismo

“Não sei o que aconteceu, o que se falou, o que se disse. Está muito na moda isso do racismo. Como cidadão, tenho o direito de pensar da minha maneira. Só posso ter uma opinião concreta se souber o que se disse naquele momento. Hoje, qualquer coisa que se diga contra um negro é sempre sinal de racismo, mas o mesmo a um branco já não é sinal de racismo. Está a implementar-se essa onda no mundo”.

Messi x Bartomeu

Em entrevista exclusiva, Messi falou sobre as vezes em que foi enganado pelo ex-presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu. “Em muitas coisas. Em muitas coisas que refiro não falar. Não quero falar de coisas privadas. Não quero falar o que ele prometeu. Mas te asseguro que me enganou em muitas coisas e por muitos anos. Eu sabia que se fosse à justiça íamos ganhar. E me disseram muitos advogados, não apenas um. Mas não queríamos ir assim do Barcelona”.

Fernando Diniz sobre a ausência de torcida nos estádios

“Futebol sem público é como cerveja sem álcool. É uma pena que o torcedor não possa estar junto nesse momento. Contra a LDU foi um grande exemplo de como eles fazem a diferença. Espero que a pandemia acabe e o torcedor possa voltar ao estádio para fazer sua festa novamente”

Casagrande sobre morte de Maradona

“Eu me tratei e sempre fiquei revoltado com quem estava ao redor dele, porque quem está do lado dele está vendo que está indo para o fundo do poço, se destruindo. E ninguém faz alguma coisa para evitar o que aconteceu hoje. Fico chocado pela perda de um grande jogador, por um cara que eu conheci, gostava muito e por ser um dependente químico. Eu sofro muito quando morre um dependente químico, para mim é muito duro”.

Jorge Jesus sobre o Brasileirão ser melhor que o Campeonato Inglês

“Vim de um futebol com muitos jornalistas, vim do futebol mais evoluído do mundo. Campeões mundiais cinco vezes, os melhores jogadores do mundo… Se o Campeonato Brasileiro passasse aqui como o Inglês, iam ver qual é exatamente a competição mais forte do mundo”.

Em destaque