Carregando

Buscar

Futebol

Torcedor que virou presidente do Santa Cruz-RS leva time ao título com “ajuda” de Tiago Volpi

Compartilhe

De torcedor solitário a presidente no título mais importante da história do Santa Cruz, do Rio Grande do Sul. Oito anos após ser flagrado sozinho em uma arquibancada, Tiago Rech viu seu time erguer a taça da Copa FGF (Federação Gaúcha de Futebol) e garantir uma vaga na Copa do Brasil 2021, além de disputar a Recopa Gaúcha contra o Grêmio.

Rech, no entanto, teve que lidar com os problemas recorrentes na rotina das equipes pequenas, como falta de dinheiro e instabilidade esportiva. Para montar o time campeão, o jornalista por formação contou com experiência acumulada, o investimento de parceiros e recursos vindo da compra de Tiago Volpi feita pelo São Paulo há um ano. O goleiro foi formado no Santa Cruz e o clube recebeu cerca de R$ 100 mil assegurados pelo mecanismo de solidariedade da Fifa.

Em entrevista ao “UOL Esportes”, Rech comentou um dos dias mais emocionantes da vida, além do título de presidente da sua equipe do coração. “Até agora não caiu muito minha ficha, foi um dos dias mais emocionantes da minha vida. Ser presidente de um clube do interior não é fácil. Eu coloquei dinheiro meu, da minha família, recebi muito ‘não’, mas sempre mantive esse sonho de conquistar um título”.

João Felix

Atualmente, o dirigente está no seu terceiro mandato e conseguiu reforçar o elenco com jogadores que estavam parados em meio à pandemia do novo coronavírus. Além da parte do valor da compra de Volpi, o clube foi beneficiado com a venda do meia-atacante Pedro Henrique, formado também nas categorias de base e que se transferiu ao futebol grego para o turco.

Disputamos a Copinha (Copa FGF) com um grupo formado por jogadores experientes e muitos jovens. Deu liga, formamos uma família. Eu estava confiante, formei outros planteis aqui e a gente sente quando vai resultar em vitória”, contou Rech.

As expectativas agora são altas. A participação na Copa do Brasil renderá um pouco mais de R$ 500 mil, cinco vezes mais que o valor recebido na transação de Volpi. Além disso, Rech prevê aumento das receitas de patrocínio. O primeiro compromisso é enfrentar o Grêmio na final em jogo único da Recopa Gaúcha. 

Em destaque