Carregando

Buscar

Futebol

Laudos encomendados pelo Bahia apontam que Ramírez não usou palavras racistas contra Bruno Henrique

Compartilhe

O Bahia contratou especialistas em leitura labial para comprovar que Ramírez não usou termos racistas contra Bruno Henrique. Segundo o laudo, o colombiano teria dito: “Tá quanto?”, em alusão ao momento em que o Bahia havia virado o jogo.

Além do laudo, o clube e o jogador acusam o atacante rubro-negro de ter sido xenófobo, ao xingá-lo de “Gringo de m#”.

Foto: Twitter

“Após o conhecimento do vídeo, nós procuramos o Ramírez. Ele viu o vídeo e foi taxativo na hora em que viu o vídeo. Ele diz: ‘tá quanto? tá quanto?’. Isso foi o que o Ramírez disse quando viu o seu próprio vídeo. Mandamos para um pessoa nos auxiliar aqui em Salvador. Ele nos confirmou que a expressão era ‘tá quanto?’, ‘tá quanto?”, disse o presidente do Bahia.

“Incialmente nós conseguimos ver que ele (Bruno Henrique) fala para Ramírez: “arrombado” e depois “gringo de m…”. A palavra “arrombado” também é utilizada em cima do outro jogador (Daniel) do mesmo time do Ramírez. Posteriormente, na sequência, quando vem aquela conduta de ambos os jogadores, Ramírez pergunta: “qué pasó?”. Que é o mesmo que perguntar qual é o problema, o que você está querendo. “Qué pasó” é chamar para a briga”, disse um dos especialistas contratado, Eduardo Llanos.

Lembrando que este caso está dissociado do de Gerson, que ocorreu antes do diálogo com Bruno Henrique. Sobre a acusação de Gerson, o colombiano garante que não usou nenhuma das palavras denunciadas pelo meia.

Em destaque