Carregando

Buscar

Futebol

Gerson relata racismo de Ramírez, do Bahia, durante partida: “Cala a boca, negro”; Jogador pede respeito a Mano Menezes

Gerson
Compartilhe

A vitória eletrizante do Flamengo em cima do Bahia por 4 a 3 foi marcada por polêmicas e um jogo quente. Além da expulsão de Gabigol, o volante Gerson acusou Ramírez, da equipe adversária, de racismo, e pediu respeito a Mano Menezes.

Em entrevista após a partida, o atleta denunciou a injúria racial durante um lance com Bruno Henrique. “O Ramírez, do Bahia, falou para mim: ‘Cala a boca, negro’. Eu nunca reclamei na imprensa, mas isso eu não aceito. Eu vim falar em nome de todos os negros. O Mano Menezes também tem que saber respeitar”.

A referência a Mano Menezes, no entanto, foi por conta do depoimento do treinador, que relembrou um caso semelhante envolvendo Gerson e Daniel Alves. “Com o Daniel Alves ele não discutiu, engoliu ele e não discutiu”. O volante rubro-negro disse que nunca sofreu  um preconceito desse tipo e que o comandante precisa respeitar.

João Felix

Marcos Braz, VP de futebol do Flamengo, pronunciou-se no pós-jogo sobre o caso. “A gente está feliz com o resultado esportivo mas muito infeliz por um fato que ocorreu dentro do campo, relatado pelo Gerson, em que sofreu, a gente tem até dificuldade de falar. Ele sofreu uma ação de racismo dentro de campo. O Flamengo como uma instituição centenária se coloca ao lado do atleta e pede a profunda apuração desse episódio que é infeliz, sempre foi infeliz e infelizmente é contundente no mundo de hoje”.

Rogério Ceni também se manifestou: “É lamentável. Brasil acolhe muito bem as pessoas. É pesado demais para quem é recebido super bem. O racismo não está só na cor, está na camisa que veste, em quem você é. Flamengo tem uma torcida gigantesca. O respeito não pode faltar.” 

Em destaque