Carregando

Buscar

Futebol

Ex-atacante do Arsenal, Bendtner confessa que insultou Wenger para poder ser vendido

Compartilhe

Em entrevista à revista inglesa “FourFourTwo, o dinamarquês Nicklas Bendtner contou sobre uma conversa acalorada que teve com seu então treinador no Arsenal, Arsené Wenger. O ex-jogador confessa que chegou a insultar o comandante, em uma forma de forçar sua saída do clube.

Bendtner chegou ao Arsenal em 2005, após empréstimos para Birmingham, Sunderland e a Juventus, e saiu do clube inglês em 2014. O dinamarquês contou que não foi fácil sua vida pelo clube londrino e que a gota d’água chegou em 2013, quando Wenger se recusou a vende-lo.

“Nós nos respeitávamos e nos divertíamos muito, éramos honestos um com o outro. Mas naquela época (2013), eu queria sair do Arsenal e o Crystal Palace me fez uma boa oferta”, disse o ex-atacante. “O acordo deu em nada porque o Arsenal não encontrou um substituto para mim”, concluiu o dinamarquês.

Bendtner acabou indo para o Wolfsburg, da Alemanha, no ano seguinte. Mas admite que na tentativa de sair chegou a insultar o ex-treinador. “Wenger telefonou e disse: ‘Desculpe, você não pode ir.’ Aquilo foi um duro golpe para mim, já que esperei a semana toda para ir embora. Chamei Arsene de um merda e um babaca para que ele tivesse que me vender, mas não funcionou.” disse o ex-jogador.

“Isso me fez ver sua personalidade, porque ele me explicou que ficar comigo era o melhor para o clube. Foi difícil discutir com ele”. Mesmo assim, o dinamarquês ressalta que essa foi a única discussão forte que teve com ele: “Todas as outras vezes era só ele que gritava comigo”, conclui aos risos.embora. Chamei Arsene de um merda e de babaca para que ele tivesse que me vender, mas não funcionou.” disse o ex-jogador.

João Felix
Tags

Em destaque