Carregando

Buscar

Futebol

Atlético-MG é ordenado a pagar R$ 2,7 milhões a Elias, clube tenta suspender execução

Compartilhe

A 25ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte condenou, na última quarta-feira (09), o Atlético-MG e gerou uma ordem para que o clube mineiro tenha que pagar pagar, em 48 horas, aproximadamente R$ 2,7 milhões a Elias, ex-jogador da equipe. O Galo está sob pena de execução, com penhora imediata, determinada pelo despacho publicado em Execução Provisória movida pelo volante. O time mineiro busca alternativas para evitar os pagamentos.

O atleta acionou o clube na Justiça do Trabalho e, em agosto, teve sentença favorável. Foram deferidos os seguintes pedidos do jogador:

João Felix

1) salário do mês de outubro de 2019;

2) salário do mês de novembro de 2019;

3) 08 dias de salário do mês de dezembro de 2019;

4) 13º salário do ano de 2019;

5) férias relativas ao período aquisitivo 2019/2020 acrescidas de 1/3, em dobro;

6) 23 dias de salário de janeiro de 2020;

7) 1/12 de 13º salário do ano de 2020;

8) FGTS sobre o saldo de salário de janeiro de 2020 e o 13º proporcional do ano de 2020;

9) multa do art. 467 da CLT, em virtude da inexistência de controvérsia sobre as parcelas rescisórias, a incidir sobre a incidir sobre: saldo de salário de janeiro de 2020 e 13º proporcional do ano de 2020;

10) multa do § 8º do art. 477 da CLT, diante da ausência de pagamento das verbas rescisórias.

O Galo busca alternativas para suspender a execução, podendo oferecer um imóvel, por exemplo, como garantia, porém a situação mostra-se desfavorável para o clube.

 

Foto: Getty Images

Em destaque