Carregando

Buscar

Futebol

Saci, mascote do Inter, é acusado de vazar dados de candidatos à presidência do clube

Compartilhe

Na última semana, uma denúncia de vazamento de dados de associados atingiu o Internacional. A acusação diz que conselheiros da Chapa 03 (que concorre à presidência) teriam descumprido a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), assim como um funcionário do clube. Apesar de não ter a identidade revelada, o jornalista Cristiano Silva afirma que o profissional envolvido é o Saci, mascote colorado. 

A comissão eleitoral da equipe gaúcha optou por acatar parcialmente a denúncia e decidiu não impugnar a chapa, que tem José Aquino Flores de Camargo candidato à presidência. O motivo usado, para não irem atrás da chapa é de que não existe este tipo de pena no regulamento ou estatuto colorado.

Apesar da continuidade da chapa 03 na disputa, os conselheiros e o funcionário serão investigados. Todos serão levados ao conselho de ética do Internacional, para esclarecimentos de fatos e atitudes. O colaborador, no entanto, poderá sofrer implicações administrativas cabíveis, que sejam executadas pelo clube. O documento foi assinado pelo presidente da comissão eleitoral colorada, Lauro Strazzabosco Dorneles. 

João Felix

Apesar da denúncia, o Internacional divulgou uma nota oficial sobre as acusações relacionadas a uma das chapas que concorrem ao pleito presidencial. Todavia, o segundo turno da eleição do Inter segue marcada para acontecer no dia 15 de dezembro. Mais de 65 mil sócios estão aptos para votar e decidir o próximo presidente do clube entre Alessandro Barcellos, da chapa 05 – O Inter Pode Mais, e José Aquino Flôres de Camargo, da chapa 03 – Reage Inter

Em destaque