Carregando

Buscar

Futebol

Quatorze jogadores sul-americanos voltam aos clubes com Covid-19 após Eliminatórias da Copa do Mundo 2022

Compartilhe

O maior problema enfrentado pelas seleções nas últimas duas partidas das Eliminatórias foi a Covid-19. No total, 14 jogadores foram infectados e retornam aos seus respectivos como desfalques. Os casos de coronavírus, inclusive, ultrapassaram as baixas por contusões, que foram apenas três.

O Uruguai lidera a lista de com sete atletas diagnosticados com a doença, seguido do Equador, com seis. O Brasil precisou cortar apenas Gabriel Menino, do Palmeiras, ainda no início da concentração. Com relação às lesões, a Argentina precisou cortar Exequiel Palacios devido à fratura na lombar. Na Seleção, o atacante Pedro, do Flamengo, volta à equipe fora de combate.

Confira os casos de coronavírus nas seleções:

URUGUAI

O primeiro caso foi de Matías Viña, do Palmeiras. Logo em seguida, Luís Suárez, do Atlético de Madrid, e Rodrigo Muñoz (Cerro Porteño) também testaram positivo. Além deles, após a partida contra o Brasil, na terça-feira, foi a vez de Alexis Rolín (Olimpia) e Diego Rossi (Los Angeles FC) serem diagnosticados com o vírus. 

Os clubes testaram todos os jogadores depois das Eliminatórias. O Atlético de Madrid terá outra baixa: Lucas Torreira. O Benfica também identificou um caso de coronavírus no retorno das disputas sul-americanas. Darwin Núñez foi o último a testar positivo e a sétima baixa do Uruguai. Além dos atletas, seis integrantes da equipe técnica foram contaminados.

João Felix

EQUADOR

Um surto de Covid chegou à seleção equatoriana com seis jogadores positivos ao final da Data Fifa. Alan Franco (Atlético-MG), Enner Valencia (Fenerbahce) e Diego Palacios (Los Angeles FC) foram os três primeiros da delegação a contraírem o vírus.

Antes da última partida, o número dobrou. Mario Pineida (Barcelona de Guayaquil), José Cifuentes (Los Angeles FC) e Moisés Corozo (LDU) testaram positivo para a doença. Além da Covid-19, a equipe teve uma baixa importante por lesão: Adolfo Muñoz (LDU).

BRASIL

O único a retornar lesionado ao clube de origem foi Pedro, do Flamengo, que já está em tratamento, mas não tem data definida para voltar aos gramados. Com relação à Covid-19, apenas Gabriel Menino foi identificado com a doença e liberado pela Seleção.  Alex Telles, inicialmente, testou positivo para o vírus, mas, em nova bateria de exames, deu negativo e foi liberado para a partida.

ARGENTINA

O caso mais grave de lesão das Eliminatórias foi na seleção argentina. Embora não tenha sido identificado nenhum caso de coronavírus no elenco, os “hermanos” tiveram uma baixa importante e bastante preocupante. Exequiel Palacios sofreu uma fratura nas costas após levar uma joelhada de Ángel Romero. 

A lesão é parecida com a de Neymar na Copa do Mundo de 2014, que o deixou de fora do resto da competição. O tempo de recuperação de Palacios informado pelo Leverkusen é de três meses.

Em destaque