Carregando

Buscar

Futebol Stick

Corrida pelos direitos da Champions começa em Janeiro com Disney, Globo e Turner como principais interessadas

Compartilhe

A corrida pelos direitos de transmissão da Liga dos Campeões tem data marcada para começar: janeiro de 2021. Isso porquê a TEAM, agência que vende os direitos de transmissão dos eventos da Uefa, marcou o início dos trâmites para a licitação do torneio mais importante do continente europeu para as temporadas 2021-22, 2022-23 e 2023-24. Disney, Globo e Turner são as emissoras interessadas na aquisição dos direitos.

Hoje, a Turner é a detentora A emissora promete se manter firme na disputa após bater recordes históricos na TV por assinatura do país na temporada passada, com a caminhada de Neymar Jr. até a final do torneio. Eles também apostam na boa relação construída com a Uefa nos últimos anos. 

A principal concorrência será a do Grupo Disney, detentora da ESPN e Fox Sports. A prioridade do canal é recuperar as transmissões do torneio que eles detinham os direitos há seis anos. Soma-se o fato de que o grupo já possui o direito de grandes torneios como o Campeonato Inglês, Espanhol, Alemão e a Liga Europa, segunda competição mais importante do continente. 

João Felix

Mesmo com interesse, a Globo corre por fora e não vê a Liga dos Campeões como prioridade. Na TV aberta, a emissora transmitiu a competição entre 2009 e 2018, com foco na fase eliminatória em que a audiência era maior.

O inicio das negociações estava marcado para 2020, no entanto, a pandemia de coronavírus fez com que fosse adiado. Em apuração feita pelo “UOL Esporte”, o intuito da Uefa é priorizar os países europeus para que depois possa negociar com os de fora. Até o momento, as emissoras da Ucrânia estão disputando os direitos.

Marcus Rashford, do Manchester United, foi o destaque da rodada com três gols. (Imagem: Reprodução/Manchester United)

Os valores tendem a não ser astronômicos. Fontes de cada uma das emissoras do país afirmam que não pretendem fazer loucuras para adquirir os direitos da competição. A TEAM já fez essa interpretação, visto que não espera conseguir contratos acima dos U$ 80 milhões (R$ 462 milhões) no mercado brasileiro, valor pago pela Turner da última vez.

Em destaque