Carregando

Buscar

Futebol

Quem deve ser o treinador do Palmeiras? Saiba os que já recusaram e quem ainda está em pauta

Compartilhe

A saída de Vanderlei Luxemburgo do Palmeiras pode ter sido uma decisão fácil de se tomar. No entanto, a procura por um substituto vem sendo o contrário. Em busca de um comandante que se adeque ao estilo de jogo que a diretoria quer implementar, o Palmeiras tem dificuldades em se acertar com um treinador.

O esforço é grande, mas os nomes não parecem se sentir totalmente atraídos pelo Alviverde. Até o momento, o clube já pautou sete nomes, sendo que quatro deles já teriam recusado propostas do clube. São eles: Ariel Holan (Universidad Católica), Gabriel Heinze (sem clube), Miguel Ángel Ramírez (del Valle) e Rogério Ceni (Fortaleza).

Heinze e Ramírez foram os dois que mais se aproximaram do cargo. O primeiro, por estar sem clube, se viu atraído pela oportunidade de treinar um time forte. No entanto, a falta de um projeto bem estruturado o afastou. Ramírez, por sua vez, apesar de também ter mostrado interesse, optou por permanecer no Independiente del Valle, time que está vivo no mata-mata da Libertadores.

João Felix

Ariel Holan e Rogério Ceni foram sonhos mais distantes. Ao serem procurados, ambos descartaram a proposta do Palmeiras por estarem bem nos clubes que treinam. Guto Ferreira, treinador do Ceará, foi um dos nomes cotados que, apesar de despertar interesse, foi logo deixado de lado.

Em pauta, são dois nomes que seguem vivos na lista do Palmeiras. O primeiro se trata de Matías Almeyda, treinador que marcou época quando era jogador do River Plate e hoje comanda o San José Earthquakes, dos Estados Unidos. As negociações já começaram e o clube aguarda uma proposta oficial.

Outro nome que ainda interessa o Verdão é o de Abel Ferreira, ex-treinador do Braga, de Portugal. O português de 41 anos está no PAOK, da Grécia. 

Em destaque