Carregando

Buscar

Futebol

Ex-técnico do Flamengo, Carpegiani critica rodízio de Dome: ‘Deu sorte’

Domenec Torrent
Compartilhe

Após um começo conturbado, Domènec Torrent tem ganhado a confiança da torcida do Flamengo. Diante de um calendário com muitas partidas, o treinador adotou o sistema de rodízios para evitar problemas físicos no elenco. 

No entanto, Dome colecionou críticos do sistema de rodízios. Um deles foi Paulo Cesar Carpegiani, treinador do Flamengo campeão mundial em 1981. Em entrevista à “ESPN”, Carpegiani afirmou ter um pensamento contrário ao do catalão. 

João Felix

Se joga com o time que está em último o mesmo ponto que em um clássico. Só vai trocar quando o jogador tiver um problema, para você manter a sua equipe. Você vê o futebol europeu, você sabe de cor e salteado a equipe do Bayern de Munique, que é a grande equipe do mundo. Como treinador, vou escalar sempre o que eu tenho de melhor. Porque não sei se daqui uma semana vou estar fora – disse.

Carpegiani ressaltou que o sistema de rodízio faz com que o time não tenha identificação com a torcida, que não sabe qual é a equipe titular. O ex-treinador destacou o trabalho de Jorge Jesus no Flamengo, ano passado.

– Fico meio irritado, até, com poupar jogador. Se você perguntar a um jogador, o que ele gosta é de jogar, em detrimento do treinamento. Ele não gosta de treinar. Se perguntar, o jogador sempre vai ter essa preferência. O próprio Jorge Jesus provou isso, ao longo do tempo. Ele criou um time que a torcida sabe de cor e salteado. Hoje, você não sabe o Flamengo qual é o seu time – completou.

Por fim, Carpegiani afirmou que Dome teve sorte no Flamengo, ao superar as dificuldades e destacou que a falta da torcida nos estádios contribuiu para que o catalão permanecesse no cargo.

– Teve um pouco de dificuldade, talvez, até pela falta de experiência. Isso lhe causou enormes dificuldades. Deu sorte por um fator: a falta de torcidas nos estádios. Porque ele teria sérias dificuldades por todo aquele início de colocar todas as suas ideias de cara. Voltou atrás, hoje apresenta um futebol forte, competitivo, mas não comparado à outrora – falou.

Em destaque