Carregando

Buscar

Futebol Stick

Jornalista que foi racista com Ansu Fati, do Barcelona, emite pedido de desculpas: “Mal-entendido”

Compartilhe

Salvador Sostres, colunista que fez um texto de cunho racista para Ansu Fati, do Barcelona, veio a público nesta quinta-feira (22) para se desculpar. Jornalista do “ABC”, disse ter sido interpretado de maneira errônea ao comparar o jogador com um vendedor ambulante negro fugindo da polícia. Ele afirma que a intenção era fazer um elogio à movimentação do atleta. 

“Ao tentar destacar a beleza do movimento de Ansu e sua classe como jovem jogador, algumas expressões foram interpretadas como discriminação racial. Isso não poderia estar mais longe das minhas intenções, ou opiniões, que são muito favoráveis ao jogador, como sempre expressei nas minhas reportagens de jogo desde que se estreou. Peço desculpas profundamente pelo mal-entendido e para aqueles que podem ter ficado ofendidos”, escreveu.

O texto de Sostres foi publicado no jornal espanhol depois da goleada do Barcelona de 5 a 1 sobre o Ferencváros pela primeira rodada da Liga dos Campeões. Na coluna, Fati teve sua velocidade comparada com aos “manteros” (vendedores ambulantes) negros que costumam fugir da polícia nas regiões turísticas de Barcelona. 

João Felix

“Ansu correndo tem algo de gazela, de mantero jovem e negro que, de repente, seria visto correndo no Paseo de Gracia quando alguém grita: “Água, água!”, anunciando que a Guarda Urbana teria chegado. Estampas selvagens no coração da cidade. Agora isso não acontece porque, para Ada Colau, os delinquentes são os policiais e não os ambulantes, que já não têm que sair correndo mais”, dizia o texto. Antoine Griezmann, companheiro de Fati no Barcelona, saiu em sua defesa ao ler a coluna. 

“Ansu é um garoto excepcional que merece respeito como qualquer ser humano. Não ao racismo e não à falta de educação”, publicou o francês. Após a postagem, a repercussão aumentou e causou indignação.

Em destaque