Carregando

Buscar

Futebol Stick

Robinho diz que teve consentimento de jovem e reclama do feminismo: “Infelizmente existe esse movimento feminista”

Compartilhe

Pouco depois de anunciar a suspensão do contrato com o Santos, Robinho se manifestou sobre a sentença de condenação de prisão por violência sexual contra uma jovem albanesa.

Em entrevista ao “UOL”, o jogador negou ter tido relação sexual, mas que teve o consentimento dela até o momento em que ele teria deixado a cena. Além disso, criticou o movimento feminista e a postura das mulheres.

“Não tive relação sexual com ela, não. A gente teve relação entre homem e mulher, relações que homem tem com a mulher, mas não chegou a ter nenhuma relação sexual, nenhuma penetração, nada disso. Infelizmente, existe esse movimento feminista. Muitas mulheres às vezes não são nem mulheres, para falar o português claro. E se levantam contra porque coisas que homens fazem”. 

João Felix

O jogador ainda acrescentou: “Acabei de responder agora. Eu não sou bonito, sou casado com a minha esposa, mas se eu sair na rua, e a mulher falar: “Oi, lindo, gostoso” tem uma conotação. Se eu mexer com você com falta de respeito é totalmente diferente”.

Robinho detalhou a relação que teve com a jovem e também contou qual considera ter sido seu erro no caso polêmico.

“Uma garota se aproximou de mim, a gente começou a ter contato com consentimento dela e meu também. Ficamos ali poucos minutos. A gente se tocou. Depois fui embora para casa. Quando ela se aproximou de mim, ela não estava embriagada, até porque ela lembra do meu nome, lembra quem sou eu. A pessoa que bebe não lembra de nada. Ela lembra. O fato dela ter saído depois para outra discoteca com os garotos, isso mostra que ela não foi abusada. A pessoa que recebe um abuso, nunca recebi e ninguém da minha família, graças a Deus, que é algo muito sério, ela jamais sairia dali para ir para outro lugar com esses mesmos garotos”.

Para finalizar, o ex-santista comentou a tradução dos trechos da sentença que incluem troca de mensagens entre o atacante e amigos após o dia do caso.

“Eles traduziram muita coisa fora de contexto. Na verdade, isso faz muito tempo. Em conversas de WhatsApp, a gente fala, mas nunca com falta de respeito, por desrespeitar as mulheres. Eles falaram que homens conversam entre si, que teve relação sexual com a mulher, com consentimento dela, porque ela quis, exatamente isso”.

Em destaque