Carregando

Buscar

Futebol

Presidente do Atlético-MG fala sobre encarecimento da obra do novo estádio do clube

Compartilhe

Sérgio Sette Câmara, presidente do Atlético-MG, falou à rádio ”Itatiaia”, uma das mais conceituadas do país, que as obras para o novo estádio do Galo tiveram um encarecimento muito grande por conta de algumas exigências da Prefeitura de Belo Horizonte. O aumento gira em torno de R$ 350 milhões.

”Com relação a esses números, o que eu sei é o que os investidores me disseram. E o que os investidores me disseram é que foram feitas muitas exigências, condicionantes – e eu não estou aqui discutindo se eram legais ou não eram -, que chegaram a um valor de aproximadamente R$ 100 milhões, só de exigências pra que fosse liberado o alvará do clube. Essas condicionantes são obras que o clube teve que aceitar, contrapartidas que o clube terá que fazer na região. É comum acontecer esse tipo de exigência dos governantes, mas eu acho, pelo que me passaram os investidores, que houve uma exigência muito grande nesse aspecto”, disse.

João Felix

”Não se tem notícia de uma outra obra em Belo Horizonte que tenha tido tantas condicionantes como foram impostas no caso da construção da Arena MRV. Foi o que ouvi dos investidores. No contexto todo, de atraso no início da obra, mais condicionantes e outras situações de encarecimento de todo o projeto, o que também me foi falado, pelos mesmos investidores, é que esse valor chega próximo a essa quantia de R$ 350 milhões, infelizmente”, finalizou.

O valor da obra era de R$ 410 milhões. Com o acréscimo, ela passará para R$ 760 milhões. O presidente do clube também falou para a rádio que serão triplicadas o número de cadeiras cativas vendidas. Antes eram 2 mil, agora serão 6 mil. O valor de cada uma gira em torno de 30 a 40 mil reais e elas poderão ser utilizadas por 15 anos.

Em destaque