Carregando

Buscar

Futebol

Presidente do Cruzeiro explica como pretende pagar dívida de R$ 1 bilhão

Compartilhe

O presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, falou sobre como o o clube pretende pagar o déficit de 1 R$ bilhão. Para o mandatário, a base é fundamental nesse processo. Os próximos anos, no entanto, são desafiadores.

“Hoje, nosso grande desafio é sobreviver a este agora, a este segundo semestre e ao primeiro semestre do ano que vem, equalizando essas dívidas, e colocando as dívidas de acordo com nosso potencial de captação de receita. A gente, por exemplo, assume o clube no dia 1º de junho com receita zero de patrocínio. A gente tem o ano do centenário que vem para a gente negociar em patamares maiores. Na Série A, vamos ter direitos de TV maiores, vamos ter essas propriedades digitais. E temos ideias estruturadas, conversamos com fundos que vem apresentando soluções. Com a taxa Selic com esse patamar, está todo mundo tirando dinheiro de banco e procurando novas formas de monetizar. A gente estuda com diversos fundos para isso”, explicou.

O dirigente comparou a situação do clube com a de Corinthians e Flamengo em outros momentos: “Hoje nós temos R$ 130 a R$ 150 milhões em passivo trabalhista. Disso, R$ 70 milhões são do Fred. Isso significa que eu vou ser condenado a pagar R$ 70 milhões? Não. Existem algumas questões quando a gente pega a parte trabalhista, a gente recebeu o pessoal da Justiça do Trabalho, a gente caminha para o ‘ato trabalhista’, que a gente pega a dívida e coloca dentro do fluxo de caixa e, assim, será possível o Cruzeiro pagar. Na área fiscal, a mesma coisa, o Corinthians fez um acordo com o PGFN, e isso está no nosso radar. Com os credores privados, isso também está caminhando. Então eu acho, o grande problema não é o tamanho da dívida, é o perfil da dívida. O Flamengo ainda tem R$ 550 milhões de dívidas. Mas ela é equalizada de forma que eles recebem para poder pagar. A gestão do Bandeira de Mello (ex-presidente do Flamengo)  no segundo ano fechou no superávit. Hoje, o nosso desafio é conseguir fazer isso”.

João Felix
Sobre os ativos do clube, o presidente cita: “O Cruzeiro é o time com jogadores Sub-23 com a maior minutagem, isso é ativo. O Athletico-PR vendeu R$ 250 milhões em jogadores. Acho que a gente tem esse potencial, ainda mais com esses atletas jogando, meninos que têm jogos pela Série A, convocações para a seleção de base, com baita capacidade de venda. Isso com o dólar e euro neste patamar. Com uma venda, Athletico-PR, Grêmio e Flamengo fazem R$ 100 milhões, um décimo da nossa dívida total. Acredito muito no potencial desses meninos e acredito que eles vão servir para a gente equalizar a dívida do Cruzeiro”, finalizou.

Em destaque