Carregando

Buscar

Futebol

Com valor próximo aos R$ 15 milhões, Cruzeiro busca acordo na Fifa para pagar Ábila, Arrascaeta, Paulo Bento e Riascos

Compartilhe

Apesar de já terem ido embora, alguns nomes ainda trazem problemas para o Cruzeiro. De acordo com Flávio Boson, superintendente jurídico do clube, discussões já foram abertas com a Fifa para negociar dívidas com Ábila, Arrascaeta, Riascos e Paulo Bento. Punido já duas vezes, a Raposa busca acordos em outros casos que estão sendo discutidos na entidade, alguns deles já não possibilitam recurso.  

O Cruzeiro afirmou que são quatro débitos em negociação. Um deles é com o Defensor, do Uruguai, pela compra de Arrascaeta, em 2015. A cobrança inicial era de 1,15 milhão de euros (R$ 7,2 milhões na cotação atual). “Existe o processo do Defensor, que já abrimos o diálogo. Foi o Paulo Assis (diretor administrativo) quem começou uma conversa para ver se é possível algum parcelamento”, comentou. Outra envolve o atacante Ramón Ábila. Um valor já foi pago ao Union Florida, da Argentina. O Instituto de Córdoba também cobrava pouco mais de 100 mil dólares (R$ 530 mil).  

Outra dívida é junto ao Mazatlán, do México (ex-Morelia), pelo negócio do atacante Riascos, em 2015. O valor inicial da cobrança é de 1,145 milhão de dólares (R$ 6 milhões na cotação atual). Segundo Flávio, o caso não possibilita mais recurso. “Buscamos contato para abrir diálogos com o Monarcas Morelia, que tem, sim, um elevado valor a receber pela contratação de Riascos. Nada resta, a não ser acertar o valor”, disse.

João Felix

Por fim, o último caso envolve o ex-treinador do Cruzeiro e sua comissão técnica, Paulo Bento, que trabalharam no clube em 2016. O valor ultrapassa os R$ 1 milhão e é atualmente discutido na Fifa. O clube ainda precisa pagar cerca de R$ 600 mil, além de cerca de R$ 100 mil para cada um dos quatro assistentes: o preparador físico Pedro Pereira, os assistentes Ricardo Peres e Sérgio Costa, além do observador técnico Vitor Silvestre.

No caso de Bento e Ábila, o Cruzeiro ainda irá buscar diálogo para resolver o imbróglio. “Estamos a dialogar sobre uma dívida sobre o Ramón Ábila. Quando chegar, também, o momento adequado, esperamos a possibilidade de diálogo com o Paulo Bento e sua comissão, que também um processo de tramita na Corte Arbitral da Fifa. Acho que de valores grandes e que não estão para vencer, nós teríamos esses aí”, concluiu Boson.

Os valores somados se aproximam de R$ 15 milhões. O clube também precisa pagar 850 mil euros (R$ 5,3 milhões) ao Al Wahda, dos Emirados Árabes, para não ser rebaixado à Série C do Brasileiro.

Em destaque