Carregando

Buscar

Futebol

Lucho González, do Athletico-PR, é acusado de maus tratos pela ex-esposa

Compartilhe

Lucho González está sendo acusado novamente pela ex-esposa Andreia da Silva Marques de negligência. Ela alega maus tratos da parte do argentino e sua namorada, Khawana Zangiski, aos seus filhos, além de afirmar que está passando dificuldades. A defesa do jogador do Athletico-PR, no entanto, nega todas as acusações.

De acordo com o portal “Uol”, Andreia registrou, em dias consecutivos, dois boletins de ocorrência no Núcleo de Proteção à Criação e ao Adolescente Vítima de Crime (NUCRIA), em Curitiba. A Polícia Civil foi acionada e está investigando o caso.

No documento, no dia 13 de agosto, a ex-esposa de Lucho afirma que o jogador agarrou o braço e arrastou o filho de 9 anos, além de trancá-lo junto à irmã, de 4 anos, em um quarto sem luz, água e alimentos. Ela ainda afirmou que o meio-campista ameaçou bater nas crianças caso elas contassem o ocorrido.

João Felix

Já no dia 14, um dia após o primeiro boletim, Andreia acusou a atual namorada do atleta de ser imprudente ao colocar duas crianças na caçamba de um veículo em alta velocidade no dia 1º de agosto. No vídeo que foi divulgado, a moça está ingerindo bebida alcoólica, ao lado deles, no Hotel Fazenda Piazito Park, em Piên (PR), a 87 km de Curitiba. A ex-esposa também reclama da exposição das crianças em uma casa noturna no meio da pandemia de Covid-19, em 2 de agosto. 

Em entrevista exclusiva ao portal “Uol”, Andreia desabafou e disse que Lucho não agrediu seus filhos, mas não teve o tratamento adequado para pai. 

“Meus filhos jamais disseram que o pai lhes bateu, como tenho ouvido falar. O que aconteceu, segundo relatam os meus dois filhos, o banheiro estava com problemas e começou a pingar água no piso dos quartos e no chão do banheiro. Quando o pai viu a água, começou a gritar com os dois e arrastou meu filho pelo braço, sendo que minha filha já estava de pé, e ia caminhando na frente dos dois. O Lucho os levou escada abaixo arrastando e empurrando até ao quarto, onde depois os trancou no escuro de noite até o dia seguinte de manhã”.

Ainda acrescentou: “Meu filho relata que a irmã chorou sem parar com medo, porque ficaram no escuro total, e acabou adormecendo. E ele também. Lucho e sua namorada não lhes deram nada para comer ou beber, e o pai gritou que eles estavam proibidos de ir até no banheiro. Meu filho fala que pensou beber água no banheiro e não foi por medo do pai escutar a água. E que lhe recusaram dar a mamadeira que a Maria toma antes de dormir. Já os episódios em que relatam que o pai bateu foram no irmão mais velho, que não vive aqui com o pai, e que ele se pôs no meio para o defender e que o pai bateu no irmão no lugar do meu filho”.

A defesa de Lucho, no entanto, diz que a história e diferente, e que a madrasta não estava alcoolizada no dia do vídeo postado, nem andando em alta velocidade. Além disso, revelou a versão das crianças, dizendo que “o pai não fez isso (ter arrastado ou puxado pela casa)” e também que foram dormir no quarto da irmã sem televisão devido ao vazamento no banheiro. 

Em destaque