Carregando

Buscar

Futebol

Em última coletiva, Rafinha se despede do Fla, fala sobre decisão de ir para o Olympiacos e afirma: “Saio com a sensação de dever cumprido”

Compartilhe

Chegou ao fim a passagem de Rafinha pelo Flamengo. O lateral irá defender o Olympiacos, da Grécia, e concedeu a última entrevista como jogador do time carioca transmitida pela “FlaTV”. A escolha do novo clube, a experiência no Flamengo e também o seu momento da carreira foram alguns dos assuntos abordados na coletiva.

Bastante emocionado, Rafinha não segurou as lágrimas quando se referiu ao elenco e aos momentos que passaram juntos. “Meus companheiros são provas de que dei meu sangue todas as vezes que entrei em campo para conquistar coisas grandes pelo Flamengo. Em alguns momentos, fui para o sacrifício. Tive uma lesão no rosto e uma pessoal não encararia aquilo”, disse o atleta.

Ainda acrescentou: “Pelos meus companheiros, encarei e deu resultado. Vivi momentos que vão ficar marcados. O embarque para Libertadores, a volta em cima do trio, são coisas que ficam marcadas. Vim para o Flamengo com o coração mesmo. Vim com esse desafio, triunfei e conquistei todos os títulos possíveis”. 

Rafinha e Gabigol se abraçam durante entrevista coletiva - Foto: Reprodução

Sobre a escolha de ir para a Grécia, Rafinha disse que recebeu a proposta antes do confronto contra o Atlético-MG e que a decisão foi com coração, mas também com a cabeça, diferentemente de quando aceitou o desafio de defender o Flamengo. Além disso, comentou sobre a carreira e a possibilidade de mercado na sua idade. 

“É um prêmio com 34 anos ainda ter mercado no futebol europeu. Todo jogador sonha em jogar na Europa com 18, 22, e eu com 34 tenho mercado. Agora, foi uma decisão com o coração, mas também com a cabeça. Tenho poucos anos de carreira pela frente. ão é só pela parte financeira. Para mim, é um prêmio receber essa proposta com 34 anos e voltar a jogar a Champions. Minha cabeça está tranquila”. 

“Foi uma decisão difícil. Tive que pensar muito bem. Com a cabeça e o coração partido, decidi ir para Grécia. Saio com a sensação de dever cumprido“, acrescentou o atleta.

João Felix

Questionado sobre Mauricio Isla, seu provável substituto, Rafinha rasgou elogios ao atleta e disse que ele sabe a dimensão do que é o Flamengo. 

“Com certeza Isla é um grande jogador. Procurei tirar informações dele, que jogou muito tempo com o Vidal na seleção chilena. Ele está vindo para um grande clube e também para passar (para ele) o que é o Flamengo. Está bem servido, sim. Tem muita experiência na Europa, está vindo para um dos maiores clubes do mundo, o maior do Brasil, campeão de tudo. Não há melhor referência”

O lateral mostrou gratidão à equipe e disse que deu o seu melhor para que o clima fosse agradável e amigável. Ainda ressaltou que não se arrepende da sua escolha (Rafinha saiu do Bayern de Munique para defender o Flamengo) e que só viveu coisas boas no time carioca.

O que chamou a atenção e fez com que o jogador se emocionasse ainda mais foi a “invasão” de Gabigol, que levou isotônicos para que Rafinha pudesse levar para a Grécia. O camisa 9 do Fla ainda brincou: “Não vai chorar, não!”. 

Para finalizar, Rafinha agradeceu o carinho dos torcedores e enalteceu a equipe, que não teve um bom início no Campeonato Brasileiro sob o comando de Domènec Torrent. 

“O que posso resumir é o amor e a paixão que os torcedores têm por esse clube. Nunca vi na minha vida uma coisa parecida por isso. Quero agradecer a todos os torcedores que fizeram com que eu passasse por isso. O que levo daqui é só paixão e amor. Perdeu dois jogos, mas o momento de instabilidade é zero. Ganhamos 50 jogos atrás. É um técnico novo, competição nova, sem torcida… É um momento em que quero um desafio novo”.

Em destaque