Carregando

Buscar

Futebol

Presidente do Rio Branco-AC sai em defesa da contratação do goleiro Bruno

Compartilhe

O presidente do Rio Branco-AC, Valdemar Neto Alencar, comentou a contratação do ex-goleiro Bruno, condenado por homicídio triplamente qualificado pela morte de Eliza Samudio, e também a repercussão da notícia, principalmente após a rescisão de contrato do patrocinador na terça-feira, em um vídeo compartilhado pelo portal “Uol Esportes”. 

Para Valdemar, o atleta pagou o que devia, ficou dez anos preso e precisa de uma segunda chance, precisa ser reintegrado para trabalhar e levar sustento à família. O dirigente ainda afirmou que “a mesma Justiça que o prendeu, é a mesma que o soltou, dizendo que ele está apto a viver em sociedade”.  Assista o vídeo:

João Felix

Não foi a primeira vez que a contratação de Bruno teve repercussão negativa da mídia. No início de 2020, o Fluminense da Feira desistiu do acerto com o goleiro, e, logo em seguida, o Operário Várzea-Grandense, do Mato Grosso, que já havia anunciado a contratação, voltou atrás. 

O Boa Esporte foi o único clube que Bruno conseguiu atuar após deixar a prisão, em 2017. No entanto, em abril do mesmo ano o STF revogou sua soltura e o goleiro teve que retornar à cadeia. Em 2019, foi anunciado pelo presidente do Poços de Caldas, como um dos reforços da equipe para a disputa do Campeonato Mineiro de Futebol da terceira divisão em 2020, porém não seguiu à frente do clube. 

Em destaque