Carregando

Buscar

Futebol

Cruzeiro tem dívida de R$ 329 milhões com a União; veja plano B do clube caso não consiga voltar ao Profut

Compartilhe

O Cruzeiro vive uma crise que parece interminável. A dívida com o governo é de um total de R$ 329 milhões. São R$ 326 milhões de débito com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional e outros R$ 3 milhões com a Receita Federal. O próprio clube divulgou esses números por meio de uma coletiva de imprensa virtual, nessa quarta-feira (29).

No último sábado (25), a Justiça revogou a liminar que dava ao Cruzeiro o direito de voltar para o Profut. João Paulo de Almeida Melo, advogado tributarista do clube, afirmou que já entrou com embargo na Justiça de Minas Gerais com relação à revogação da liminar que autoriza o Cruzeiro a voltar para o programa. Não há um prazo estipulado para a resposta.

”Eu tomei conhecimento dessa decisão na quinta-feira a tarde então nosso prazo venceria na terça-feira e protocolizamos já na segunda. Eu mexi nesse caso no final de semana com todo carinho e atenção necessária. Não só eu, toda minha equipe, para fazer com muita calma. E eu sou um advogado muito prudente que não gosto de prazo fatal, entro um dia antes” disse.

João Felix

O Cruzeiro já tem um ”plano B” para o caso de não conseguir voltar para o Profut, como conta o advogado: ”Levantamos todo o passivo do Cruzeiro (…). Se tudo der errado, e o Profut for perdido, nós já levantamos o montante de débito do Cruzeiro e sabemos da história do Cruzeiro com relação à parte fiscal, tributária, sobretudo, na parte federal. A nossa perspectiva de ação vai ser, primeiro, nós temos dentro do Profut e fora do Profut, um valor aproximado de R$ 100 milhões de PIS e de Cofins. O Cruzeiro é uma entidade sem fins lucrativos e faz jus ao recolhimento diferenciado (…). Havendo essa rescisão, no que se refere a pouco mais de 1/3 do crédito tributário do Cruzeiro, há precedentes favoráveis para anular confins e PIS”.

Em outras palavras, o time celeste tentará fazer uso da ”Nova Transação Tributária”, uma lei de 2020 que pode ajudar o clube a reduzir esses débitos com a União.

Em destaque