Carregando

Buscar

Futebol

Grêmio acerta venda de joia da base e campeão mundial sub-17 para o grupo City

Compartilhe

O Grêmio acertou a venda do campeão mundial sub-17, Diego Rosa, ao grupo City, dono do Manchester City e de outros clubes. O negócio pode chegar até 24 milhões de euros (cerca de R$ 144 milhões na cotação atual) e prevê o empréstimo da joia da base Tricolor a outro clube europeu.

Segundo informações do “GloboEsporte.com”, a negociação está “99% fechada e faltam apenas questões burocráticas para a assinatura e anúncio oficial”. Os últimos detalhes foram alinhados nesta terça-feira.

O City desembolsará imediatamente a quantia de 5 milhões de euros (cerca de R$ 30 milhões), sendo uma parte agora e outra em janeiro. Desse valor, 70% vai para o Grêmio e 30% para o Vitória, clube formador do atleta. Um bônus, com meta não revelada, prevê o pagamento de mais 4 milhões de euros (R$ 24 milhões).

João Felix

No entanto, há outros gatilhos que podem aumentar o valor até 24 milhões de euros. Se inscrito no Campeonato Inglês, serão mais 12 milhões de euros. Caso complete 10 jogos na 1ª divisão inglesa, o City pagará mais 3 milhões de euros. 

O contrato de Diego com os ingleses deve ser de cinco temporadas, porém não deve atuar o primeiro ano na Inglaterra. O modelo de negócio prevê um empréstimo para outro clube europeu, sendo o provável destino um time da primeira divisão italiana ou então espanhola. 

Como completa 18 anos apenas em 12 de outubro, Diego Rosa só irá viajar para a Europa no final desta temporada. A janela do Campeonato Inglês, no entanto, se encerra uma semana antes do aniversário do garoto. Por isso, ele treinará com o time sub-23 do Grêmio. 

O volante foi um dos destaques no vice da Copa São Paulo Júnior no início do ano. Assim como outros atletas, Diego deixará o time gaúcho sem atuar pelo profissional. 

Não é a primeira vez que um clube estrangeiro tenta a contratação da joia da base gremista. A Juventus, antes da paralisação devido ao coronavírus, demonstrou interesse no garoto e acenou com uma investida. Porém o Grêmio não aceitou a oferta e negociou a renovação de contrato, pois a intenção era usá-lo no elenco profissional.

Na época, ambas as partes concordaram em ampliar o vínculo até 2024, mas questões salariais e bonificações ao longo do contrato ainda eram discutidas. Sem acerto de renovação e com a oferta do grupo City, o Grêmio se viu “obrigado” a negociar o garoto. 

Tags

Em destaque