Carregando

Buscar

Futebol Stick

STJD defere ação de Bota e Flu, e Ferj faz alterações na tabela do Carioca

Compartilhe

A bola não precisa rolar no Campeonato Carioca para o torcedor ter emoção. Desde o Arbitral da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), realizado há pouco mais de uma semana, o retorno do estadual se viu de vez na briga de Botafogo e Fluminense contra todo o restante. O novo capítulo da novela é a decisão do presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo César Salomão Filho, depois de algumas rodadas de mediação com as partes interessadas. Ficou no meio do caminho entre o que a Ferj havia marcado e o que os clubes queriam.

Antes do parecer do STJD, que você pode ler mais abaixo, a Ferj já havia adiado os jogos restantes da quarta rodada da Taça Rio em virtude de decreto assinado pelo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella. Botafogo x Cabofriense seria no sábado, dia 27, e Fluminense x Volta Redonda e Vasco x Macaé, no domingo, 28. Em seguida, a federação reorganizou a tabela da seguinte maneira:

. 28/06 – Botafogo x Cabofriense (Nilton Santos)
. 28/06 – Fluminense x Volta Redonda (Maracanã)
. 28/06 – Vasco x Macaé (São Januário)

A decisão não agradou ao Botafogo. “Estamos tristes e insatisfeitos , mas não vamos recorrer. O parecer e diagnóstico do Médico da USP dentro da ciência não valeu muito coisa. É uma corrida maluca e estúpida, e estamos doidos para sair dela”, disse Carlos Augusto Montegro, ex-presidente do clube e membro do Comitê Executivo do Alvinegro, em entrevista ao jornal “O Dia”.

Foto: Reprodução/365Scores
Foto: Reprodução/Twitter
Paulo César Salomão Filho, presidente STJD, dá o parecer sobre o imbróglio no Carioca (Divulgação)

Confira o que diz o despacho do STJD:

Por todo o exposto é que DEFIRO EM PARTE a liminar vindicada pelo Fluminense F. C. e pelo Botafogo F. R., para sustar por ora e ad referendum do Tribunal Pleno do STJD do Futebol, os efeitos da decisão do TJD/RJ, determinando assim o adiamento das duas primeiras partidas de retomada do Campeonato aprazadas para as Agremiações Requerentes, devendo as partidas serem realizadas a partir dos dias 28/06/2020 (4ª rodada da Taça Rio) e 01/07/2020 (5ª rodada da Taça Rio), ou outra data após 28.06.2020 a critério da Federação, podendo a FERJ proceder com os eventuais ajustes necessários no calendário do Torneio.”

Entenda a confusão:

A Ferj havia marcado os dois últimos jogos de Botafogo e Fluminense pela Taça Rio para os dias 22 e 26, mas os clubes exigiam que suas partidas fossem realizadas nos dias 1º e 4 de julho, sem punições administrativas da Federação – o primeiro vai enfrentar Cabofriense e Portuguesa, e o segundo, Volta Redonda e Macaé. Depois de uma ação indeferida pelo presidente do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ), Marcelo Jucá, os clubes recorreram ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Houve reunião de mediação na última sexta-feira, mas sem resultado, e um segundo encontro aconteceu no dia seguinte. Depois das rodadas de negociação, medidas pela advogada Juliana Loss, a decisão foi parar nas mãos do presidente do STJD. Ao mesmo tempo, Crivella havia assinado um decreto publicado no Diário Oficial suspendendo todas as competições com portões fechados até o dia 25. O prefeito voltou atrás logo em seguida, dizendo que a decisão valia apenas para Botafogo e Fluminense, mas na sequência afirmou que era para todos os jogos. Os dois clubes cogitaram ir à Justiça comum caso não fossem atendidos pelo STJD, mas o Alvinegro já descartou essa hipótese.

O decreto assinado por Crivella, aliás, foi publicado dois dias depois do retorno do Carioca, com a vitória por 3 a 0 do Flamengo sobre o Bangu, no Maracanã, na última quinta-feira – na sexta-feira, Portuguesa e Boavista empataram em 0 a 0 na Ilha do Governador. O prefeito já havia adotado um discurso apaziguador, defendendo a decisão de Botafogo e Fluminense e pedindo que não houvesse punição aos clubes.

João Felix

Em destaque