Carregando

Buscar

Futebol

Crivella volta atrás, e apenas Bota e Flu têm jogos suspensos no Carioca

Compartilhe

No mesmo dia em que assinou um decreto, publicado no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro (DOM-RJ), suspendendo todas as competições esportivas com portões fechados até 25 de junho, o prefeito Marcelo Crivella voltou atrás e fez ajustes no documento, que foi republicado e tem efeito imediato. Desta vez, apenas as partidas de Botafogo e Fluminense estão suspensas. Assim, os jogos marcados para este domingo – Vasco x Macaé, em São Januário, e Madureira x Resende, em Conselheiro Galvão –, pela penúltima rodada da Taça Rio, estão mantidos.

A medida acaba beneficiando os clubes de General Severiano e das Laranjeiras, que não precisam mais esperar pela decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Os dois entraram com ação para não jogar em junho, uma vez que a Ferj marcou os dois últimos jogos de ambos pela Taça Rio para os dias 22 e 26. Alvinegro e Tricolor exigiram que as partidas fossem realizadas nos dias 1º e 4 de julho, sem punições administrativas da Federação – o Botafogo ainda vai enfrentar Cabofriense e Portuguesa, e o Fluminense, Volta Redonda e Macaé.

O decreto assinado pelo prefeito vem dois dias depois do retorno do Campeonato Carioca, com a vitória por 3 a 0 do Flamengo sobre o Bangu, no Maracanã – na sexta-feira, Portuguesa e Boavista empataram em 0 a 0 na Ilha do Governador. A retomada do futebol no estado vem acompanhada de muita polêmica, uma vez que Botafogo e Fluminense se recusaram desde o início a voltar em junho, o que foi decidido em Arbitral da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) na última segunda-feira.

Com a negativa da Ferj, os clubes entraram recorreram ao Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ), mas a ação foi indeferida pelo presidente Marcelo Jucá. Em seguida, ambos foram ao STJD. Para tentar resolver a situação de maneira mais simples, o STJD sugeriu uma reunião de mediação entre a Ferj e todos os clubes participantes do estadual, o que aconteceu na noite da sexta-feira. No entanto, as partes interessadas continuaram irredutíveis, e o Tribunal marcou outra reunião virtual, desta vez apenas com Botafogo, Fluminense, Ferj e uma mediadora.

Depois disso, o presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, tomaria uma decisão. As diretorias alvinegra e tricolor ainda não descartam, esgotadas as instâncias esportivas, recorrer à Justiça comum. No entanto, o prefeito Marcelo Crivella já havia adotado um discurso apaziguador, defendendo a decisão de Botafogo e Fluminense e pedindo que não houvesse punição aos clubes.

João Felix

De acordo com o documento original publicado no DOM-RJ, os Centros de Treinamento seriam “inspecionados pelo órgão sanitário municipal antes do reinício das competições oficiais”, sendo que os clubes fora do Município do Rio de Janeiro teriam até o dia 25 para “apresentar um relatório de inspeção do órgão municipal competente”. A intenção era adequar os “os protocolos sanitários apresentados pelas federações esportivas ao protocolo sanitário municipal”, e as instituições de outras atividades esportivas precisariam responder aos órgãos sanitários da Prefeitura, conforme Resolução da Secretaria Municipal de Saúde.

Em destaque