Carregando

Buscar

Futebol

Muros da sede do Corinthians amanhecem pichados com ameaças a Andrés Sanchez

Compartilhe

Os muros e as paredes do Parque São Jorge, sede social do Corinthians, amanheceram pichados nesta quinta-feira (18). Os ataques foram direcionados ao presidente Andrés Sanchez, que foi chamado de “ladrão” e “pilantra” em algumas mensagens. A ação aconteceu um dia após o Corinthians anunciar o retorno do atacante Jô, que assinou contrato válido até o final de 2023. O clube alvinegro, no entanto, vive uma grave crise financeira.

Nos muros, o mandatário corintiano foi hostilizado de diversas maneiras. “Andrés ladrão”, “O povo cansou”, “O terror começou”, “Andrés câncer maldito”, “Impeachment já” e outras frases foram endereçadas ao presidente corintiano. Funcionários do Timão, no entanto, trataram de pintar os muros do Parque São Jorge cedo.

Muros pichados no Corinthians. Foto: Reprodução/Internet
João Felix

A diretoria reagiu com uma nota oficial em que chama os autores de “milicianos” e “patifes”. Leia abaixo:

“Tomamos conhecimento do lamentável episódio de vandalismo feito por covardes que, na calada da noite, mancham os muros e a imagem do Corinthians. A quem interessa isso?

É lamentável que, em ano eleitoral, milicianos e patifes queiram tumultuar o trabalho sério que está sendo feito neste momento difícil. São 90 dias sem jogos e, consequentemente, queda abrupta de receita. Mesmo assim, ontem anunciamos um grande reforço e devemos anunciar novos patrocinadores e receitas em breve.

Esse ato só interessa aos inimigos do Corinthians e serve de alerta para o lado mais baixo que uma eleição desperta em quem não trabalha pelo clube, mas sim pelo caos.

Seguimos em frente, com a certeza de que criminosos serão punidos e de que o futuro do Corinthians não será manchado.”

A diretoria reagiu com uma nota oficial em que chama os autores de “milicianos” e “patifes”. Leia abaixo:

“Tomamos conhecimento do lamentável episódio de vandalismo feito por covardes que, na calada da noite, mancham os muros e a imagem do Corinthians. A quem interessa isso?

É lamentável que, em ano eleitoral, milicianos e patifes queiram tumultuar o trabalho sério que está sendo feito neste momento difícil. São 90 dias sem jogos e, consequentemente, queda abrupta de receita. Mesmo assim, ontem anunciamos um grande reforço e devemos anunciar novos patrocinadores e receitas em breve.

Esse ato só interessa aos inimigos do Corinthians e serve de alerta para o lado mais baixo que uma eleição desperta em quem não trabalha pelo clube, mas sim pelo caos.

Seguimos em frente, com a certeza de que criminosos serão punidos e de que o futuro do Corinthians não será manchado.”

Tags

Em destaque